A uma semana da votação da denúncia, Temer diz que desafios o 'vitalizam'

Presidente deu a declaração nesta terça (25) durante cerimônia de posse do novo ministro da Cultura. Segundo ele, há quem acredite que pode ficar 'combalido' e 'perturbado' com dificuldades.
Temer afirma que Sá Leitão vai trazer 'energia, talento e dedicação' ao governo
O presidente Michel Temer afirmou nesta terça-feira (25) – uma semana antes de a Câmara analisar a denúncia de corrupção passiva apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR) – que, embora haja quem acredite que ele pode ficar "combalido" e "perturbado" com as dificuldades, os desafios o "vitalizam".
O peemedebista deu a declaração em meio ao discurso que fez na cerimônia de posse do novo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, no Palácio do Planalto.
Em um dos trechos de sua fala, sem mencionar diretamente a denúncia em tramitação na Câmara, Temer recomendou que auxiliares e aliados deixem de lado "toda e qualquer palavra de pessimismo".
"Temos dificuldades? Claro que as temos, mas isso é histórico do nosso país", destacou o presidente.
"Muitas vezes, vejo que as pessoas acham que podemos ficar combalidos, perturbados com as dificuldades. É o contrário. Esses desafios nos vitalizam", complementou.
Na próxima quarta (2) – no dia seguinte ao retorno do recesso parlamentar – os deputados devem apreciar no plenário da Câmara a denúncia contra o presidente da República apresentada no final de junho pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF).
Cabe ao plenário da Câmara a palavra final sobre se autoriza ou não o STF a analisar a acusação feita por Janot com base nas delações de executivos do grupo J&F, que controla o frigorífico JBS.
A denúncia contra Temer já foi analisada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara em um processo tumultuado, no qual o governo federal usou da liberação de emendas e da distribuição de cargos para substituir da comissão deputados que sinalizavam voto contrário ao presidente da República.
Com a força da caneta presidencial, o Palácio do Planalto conseguiu derrotar o parecer elaborado pelo deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ) que recomendava o prosseguimento da acusação.
Após o relatório de Zveiter ser rejeitado pela maioria dos integrantes da CCJ, a comissão aprovou um parecer recomendando o arquivamento da denúncia.
Sá Leitão afirma que conta com apoio de Temer para manter instituições federais de cultura
Sá Leitão
Em seu discurso de posse como ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão citou o impacto positivo da cultura na economia, que chamou de um "poderoso antídoto" para a crise do país. O ministro se comprometeu com um “choque de gestão” na pasta.
"A cultura tem elevada capacidade para evolução do país, poderoso antídoto para a crise que ainda nos deprime, embora estejamos saindo dela", disse o novo ministro.
"Do meu lado, farei o possível par a reduzir custos e aumentar receitas, por meio de choque de gestão e respeito da impessoalidade, moralidade, eficiência. Pretendo também desburocratizar o ministério, aumentar a eficiência", acrescentou.
Sá Leitão afirmou ainda que conta com o apoio de Temer para manter em funcionamento órgãos ligados à Cultura e destacou que "será fundamental no médio prazo uma recomposição orçamentária".
Ao discursar após Leitão, Temer comentou o pedido feito pelo ministro da Cultura. O presidente falou, em tom de brincadeira, para o novo titular da Cultura conversar sobre orçamento com os ministros Henrique Meirelles (Fazenda) e Dyogo Oliveira (Planejamento).
Em entrevista concedida ao final da solenidade de posse, Sá Leitão foi questionado sobre se acredita na inocência de Temer em relação à acusação de corrupção passiva.
“Eu acho que não se trata de uma questão de fé, de acreditar ou não. Eu fui convidado para fazer um trabalho e espero fazer meu trabalho da melhor maneira possível. Espero que tudo se resolva da melhor maneira possível para o país, sempre de acordo com a Constituição”, enfatizou. (G1)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.