“Don Juan” investigado pela Polícia Civil do DF ostenta vida de luxo

Nas redes sociais, ele continua postando, mesmo após ser indiciado pela polícia, fotos de viagens internacionais e carros esportivos
O empresário Pedro Bettim Jacobi, 40 anos, indiciado pela Polícia Civil por furto qualificado, estelionato, apropriação indébita e extorsão, costuma exibir nas redes sociais uma vida de luxo. Mesmo procurado pelos investigadores para prestar depoimento e tendo um pedido de prisão em análise pela Justiça, o homem segue atualizando as redes sociais com fotos de viagens internacionais e momentos de lazer. Para a polícia, Bettim nada mais é do que um “Don Juan” que enxergou em um relacionamento amoroso a oportunidade de se dar bem.
Ele é acusado de transferir cerca de R$ 600 mil da conta da ex-mulher, uma advogada de 36 anos, moradora do Lago Sul, sem autorização. Também teria roubado cheques e se apropriado de bens da vítima, como um Porsche Panamera, avaliado em mais de R$ 500 mil. Todas as acusações constam no inquérito policial.
Sócio de uma empresa de mineração cujo capital social é de R$ 6 mil, de acordo com consulta feita na manhã desta terça-feira (25/7) no site da Receita Federal, Pedro Jacobi gosta de velocidade. E, consequentemente, de ostentar carros importados, como um Chevrolet Corvertte ZR1, que está com bloqueio total e com restrição judicial; um Lamborghini Gallardo, com R$ 200 mil em dívidas do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) – não pago desde 2013. Nas fotos postadas em suas redes sociais, Pedro Jacobi aparece também ao lado de um Ford Flex, uma Mercedes e uma BMW.
Com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa por excesso de pontuação, Pedro segue acompanhando competições de carros pelo país, conforme as postagens revelam.
(metrópoles)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.