A VERDADE: NÃO HÁ DÉFICIT NA PREVIDÊNCIA SOCIAL

O relator, Hélio José (à esq..), foi convencido a desistir do indiciamento de ministros do atual governo
Por unanimidade, foi aprovado no dia 25.10, o relatório final do senador Hélio José (Pros-DF) sobre os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Previdência. Além de sugerir projetos de lei e emendas à Constituição para aperfeiçoar a legislação, o documento também solicita algumas providências do governo federal. A pedido de senadores, o relator concordou em retirar do texto final os indiciamentos dos ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e da Casa Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha.
O documento alega haver inconsistência de dados e de informações anunciadas pelo Poder Executivo, que "desenham um futuro aterrorizante e totalmente inverossímil”, com o intuito de acabar com a previdência pública e criar um campo para atuação das empresas privadas. Segundo o relatório da CPI, as empresas privadas devem R$ 450 bilhões à previdência e, para piorar a situação, conforme a Procuradoria da Fazenda Nacional, somente R$ 175 bilhões correspondem a débitos recuperáveis. Uma das propostas do relatório é aumentar para R$ 9.370,00 o teto dos benefícios do Regime Geral da Previdência Social (RGPS), que atualmente é de R$ 5.531,31. Informações da Agência Senado.
VEJAMOS E OUÇAMOS O RELATÓRIO FINAL QUE NÃO FORA SEQUER TRANSMITIDO PELA TV SENADO. 
                                      

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.