Câmara dos EUA aprova corte radical de impostos, na maior vitória de Trump no Congresso

Texto já foi aprovado pelo Senado e deve ser sancionado por Trump; corte de impostos deve chegar a US$ 1,5 trilhão em dez anos, na maior revisão desde 1986
WASHINGTON - A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou na tarde desta quarta-feira, 20, a reforma fiscal que corta de maneira radical os impostos dos americanos mais ricos, na maior vitória legislativa do presidente Donald Trump em seu primeiro ano de mandato. O projeto passou com 224 votos a favor e 201 contra. 
O texto já foi aprovado pelo Senado e deve ser sancionado pelo líder republicano antes do Natal. O corte de impostos deve chegar a US$ 1,5 trilhão em dez anos, na maior revisão estrutural desde 1986.
 O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.
A nova lei entra em vigor em 12 dias e os órgãos americanos terão de correr para adequar procedimentos às novas cobranças.
Os republicanos em algumas semana passaram por cima da oposição dos democratas em um esforço para reduzir os impostos para as empresas e para os ricos, ao mesmo tempo em que ofereceram alívio tributário temporário e misto para trabalhadores e famílias.
A Câmara dos Deputados aprovou o pacote de impostos na terça-feira à tarde e o Senado aprovou o projeto de lei nas primeiras horas desta quarta-feira em uma votação por 51 a 48. A Casa, porém, teve que devolvê-lo à Câmara para uma votação final devido a um empecilho processual.
A legislação ampla e financiada pela dívida reduz o imposto de renda corporativo dos EUA para 21%, ante 35%, dá a outros empresários uma nova dedução de 20 por cento sobre a receita e também reestrutura como os EUA taxam as multinacionais de acordo com a forma como as maiores empresas do país têm recomendado há anos.
Os democratas criticaram a legislação dizendo ser um prêmio para os mais ricos e as empresas que ampliará a diferença de renda entre ricos e pobres e acrescentará US$ 1,5 trilhão à dívida nacional de US$ 20 trilhões ao longo da próxima década.
Apesar das promessas da administração Trump de que a reforma tributária se concentrará na classe média e não reduzirá os impostos para os ricos, o Centro de Política Tributário, um instituto de pesquisa em Washington que não é ligado a partidos, estimou que as famílias de classe média vão ter um corte médio de impostos de US$ 900 dólares no próximo ano com a reforma tributária, enquanto o 1% mais rico dos norte-americanos terá um corte médio de impostos de US$ 51 mil dólares.(Estadão)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.