Atirador de Las Vegas fotografou outros possíveis alvos e estudou táticas da SWAT

Em nova coletiva após quatro meses, xerife diz que Stephen Paddock pesquisou estimativa de público para outros eventos e de praia na Califórnia. Motivo continua sendo desconhecido, e namorada está livre de qualquer suspeita.
Stephen Paddock, o atirador do ataque em Las Vegas, em foto não datada do arquivo de seu irmão, Eric (Foto: Arquivo pessoal/Eric Paddock via AP)
A polícia de Las Vegas continua sem saber o que levou Stephen Paddock a atirar de um hotel e matar 58 pessoas que assistiam a um festival de música country, em 1º de outubro do ano passado, mas tem certeza que ele agiu sozinho e que a namorada dele, Marilou Danley, não teve qualquer envolvimento com o caso.
Após mais de três meses, o xerife do condado de Clark, Joe Lombardo, voltou a falar com jornalistas nesta sexta-feira (19). Sua última entrevista coletiva tinha acontecido em 13 de outubro.
Segundo o xerife, desde então foi descoberto que Paddock realizou extensivas pesquisas online sobre táticas da polícia e da SWAT e buscou alvos alternativos além do festival, além de buscar informações sobre outros hotéis em Las Vegas além do Mandalay Bay, onde acabou se hospedando e de onde cometeu o crime, de uma janela no 32º andar.
O atirador chegou inclusive a tirar fotos de locais que cogitou atacar, revelou. Ele também pesquisou espaços para shows ao ar livre, estimativa de público para outros eventos em Las Vegas e o número de pessoas que costumam frequentar a praia em Santa Monica, na Califórnia.
O xerife do condado de Clark, Joe Lombardo, durante coletiva sobre o atirador de Las Vegas, na sede do Departamento Metropolitano de Polícia de Las Vegas, na sexta-feira (19) (Foto: AP Photo/John Locher)
O xerife afirmou ainda que a investigação descobriu que Stephen Paddock possuía material de pornografia infantil.
Menos de um mês após o massacre, um irmão dele, Bruce Paddock, foi preso em Los Angeles por suspeita de posse de pornografia infantil e exploração de menores. Ele tinha em seu nome uma queixa crime de 20 casos, mas sem qualquer relação com o ataque promovido por Stephen em Vegas.
O xerife explicou que as novas informações sobre o atirador foram reunidas após a análise de itens apreendidos nas duas casas de Stephen, em seus veículos, e informações encontradas nos telefones celulares, históricos de internet e contas de email do atirador e de sua namorada.
Stephen Paddock, de 64 anos, cometeu o maior ataque a tiros da história dos EUA em 1º de outubro, quando disparou do 32º andar do hotel Mandalay Bay na multidão que assistia ao Route 91 Harvest Festival. Ele matou 58 pessoas e feriu ao menos 500 e se matou antes de ser abordado pela polícia, que encontrou 23 armas no quarto em que ele estava. (G1)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.