Catherine Deneuve pede desculpas a vítimas de assédio sexual

Atriz francesa diz lamentar que manifesto pelo "direito de importunar" tenha sido mal interpretado
Catherine Deneuve, atriz, que assinou, ao lado de outras 99 mulheres francesas, uma carta aberta, publicada no jornal Le Monde, contrária às manifestações antiassédio sexual, dois dias depois de o tema haver tomado conta da entrega do Globo de Ouro 2018 (Louis Vouitton/Divulgação)
A atriz francesa Catherine Deneuve lamentou neste domingo que o artigo assinado por ela e outras artistas do país tenha sido mal-interpretado e pediu desculpas às vítimas de assédio sexual que se sentiram ofendidas. “Evidentemente nada no texto pretende apresentar o assédio como algo bom. Se fosse assim, não o teria assinado”, disse a estrela de filmes como A Bela da Tarde (1967) em um artigo publicado neste domingo pelo jornal francês Libération.
Deneuve lamentou que o manifesto publicado no início desta semana pelo Le Monde – uma defesa da “paquera insistente” e do “direito de importunar”, contra o “puritanismo” das feministas – tenha sido mal-interpretado. “Dizer em uma emissora televisão que é possível ter um orgasmo durante um estupro é pior que cuspir na cara de todas aquelas que sofreram esse crime”, afirmou a atriz, em referência às declarações da apresentadora Brigitte Lahaie.
A atriz disse que apoiou o texto contra o “puritanismo” por discordar da simplicidade da discussão e do “efeito manada” provocado por movimentos como os surgidos em protesto contra os graves abusos cometidos pelo produtor americano Harvey Weinstein.
“Eu amo a liberdade. Não gosto desta característica de nossa época em que todos se sentem no direito de condenar. Uma época em que uma simples denúncia nas redes sociais leva a punição, demissão e frequentemente linchamento midiático”, escreveu, reivindicando também ser tratada como feminista, ao lembrar que foi uma das mulheres que assinaram o manifesto pró-aborto escrito por uma das figuras centrais do movimento, Simone de Beauvoir. “Saudações com fraternidade a todas as vítimas de atos repugnantes que possam ter se sentido ofendidas por esse texto no Le Monde. É a elas, e unicamente a elas, a quem peço desculpas”, concluiu a atriz.
(Com EFE/VEJA)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.