Governo Trump é paralisado após Senado barrar orçamento

Medida é duro golpe no exato aniversário de um ano de posse do presidente americano
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump - 19/01/2018 (Mark Wilson/Getty Images)
O Senado americano barrou proposta de orçamento provisório e o governo federal dos Estados Unidos vai sofrer o chamado shutdown – uma paralisação por falta de verba. A paralisação parcial dos serviços começou oficialmente à 0h01 de sábado (3h01 no horário de Brasília).
Durante o shutdown, funcionários de agências e escritórios federais considerados não essenciais vão receber a ordem de ficar em casa até que um orçamento seja aprovado. Casa Branca, Congresso, Departamento de Estado e Pentágono permanecerão operacionais, mas com equipes reduzidas. Os militares deverão se apresentar para trabalhar – inclusive os que estão em áreas de combate –, mas possivelmente não receberão por esses dias.
A medida é duro golpe para o governo Trump no aniversário de um ano de sua posse. Em nota, a Casa Branca afirma que não negociará com os democratas a situação dos imigrantes ilegais “enquanto os democratas mantêm nossos cidadãos legais reféns das suas irresponsáveis exigências”.
No comunicado, também acusa a oposição de colocar a política acima da segurança nacional, das crianças vulneráveis e da capacidade do país de servir a todos os americanos.
Negociação
Uma proposta que financia as atividades governamentais até 16 de fevereiro foi aprovada pela Câmara na quinta, mas encontrou resistência dos democratas no Senado. A oposição pretendia evitar a aprovação do projeto porque ele não contempla uma solução para a questão dos cerca de 800 mil jovens imigrantes sem documentos que chegaram ao país quando crianças, conhecidos como “sonhadores”.
O líder dos democratas no Senado, Chuck Schumer, havia prometido na quinta que se não houvesse acordo até o horário limite, deveria ser feita uma medida de financiamento d curto prazo, que “daria ao presidente alguns dias para se sentar à mesa”. Mitch McConnell, líder republicano da maioria no Senado, disse que o projeto de lei da Câmara prevê quatro semanas de financiamento, suficientes para permitir que as negociações continuem, sem “deixar o governo no caos sem qualquer motivo”. Schumer quer “reter todo o país como refém”, acusou McConnell.
Trump, que neste sábado completa um ano no governo, cancelou a viagem prevista para o fim de semana ao seu resort na Flórida, e permanecerá em Washington para coordenar as ações caso a paralisação seja inevitável.
Shutdown
Com o fracasso das negociações, funcionários de agências e escritórios federais considerados não essenciais vão receber a ordem de ficar em casa até que um orçamento seja aprovado. Casa Branca, Congresso, Departamento de Estado e Pentágono permanecerão operacionais, mas com equipes reduzidas. Os militares deverão se apresentar para trabalhar – inclusive os que estão em áreas de combate –, mas possivelmente não receberão por esses dias.
A última vez que o governo federal sofreu uma paralisação foi em 2013, quando os republicanos impediram por duas semanas a aprovação do orçamento para tentar revogar a lei de saúde aprovada pelo então presidente Barack Obama. Na ocasião, 800 mil funcionários do governo ficaram sem trabalhar. (veja)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.