Lula, em São Paulo: “Resolveram que era hora de acabar com o PT”

A Praça da República foi o local escolhido pelos petistas para protestar contra a condenação do ex-presidente da República
RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES
Milhares de manifestantes ocupam a Praça da República, no centro de São Paulo, à espera do discurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O petista chegou ao local pouco antes das 19h desta quarta-feira (24/1), cercado de correligionários e apoiadores de partidos de esquerda.
Segundo a organização do evento, cerca de 50 mil manifestantes estão concentrados na Praça da República.
Às 20h10, Lula começou a discursar: “Eu nunca tive nenhuma ilusão com a decisão do tribunal, com o comportamento dos juízes na questão da Lava Jato, porque houve um pacto entre o Poder Judiciário e a imprensa, e resolveram que era hora de acabar com o PT”.
O petista disse ainda que a elite não aceitou o governo petista, que popularizou a educação para as camadas menos favorecidas da população e promoveu ascensão social das classes D e E.
“Me deem o apartamento, porra!”
O ex-presidente ainda ironizou a condenação no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).
Fui condenado outra vez pela desgraça de um apartamento que eu não tenho. Se eu fui condenado, que me deem o apartamento, porra. Me deem a escritura. Já que é meu, vamos ocupar esse apartamento"Luiz Inácio Lula da Silva
Segundo Lula, “tudo o que estão fazendo é para evitar que eu seja candidato, mas tudo isso me deu uma ‘coceirinha’. Agora estou com vontade de ser candidato à Presidência da República”.
Condenação
À tarde, a 8ª Turma do TRF-4 decidiu, por unanimidade, manter a condenação do ex-presidente pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, estipulada em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, no caso do triplex do Guarujá (SP).
Antes de Lula se pronunciar, petistas como a presidente da sigla, Gleisi Hoffmann, o senador Lindbergh Farias, o ex-chanceler Celso Amorim e o ex-senador Eduardo Suplicy discursaram. Todos confirmaram Lula como o pré-candidato do PT à Presidência da República este ano – seguindo orientação partidária – e reafirmaram que não há provas para a condenação do correligionário.
Apoiadores de outros partidos de esquerda, como PCO, PSol e PCdoB falaram em “rasgar” a sentença contra Lula.
A Central Única dos Trabalhadores (CUT) distribui bonés, camisetas e bandeiras aos manifestantes que chegam ao local. A cada momento, mais pessoas se juntam ao grupo.
Cristina Benedicte, professora aposentada e militante do PT, era uma das ativistas que estava inconformada. “Estou muito triste”, disse.
Apesar de uma liminar emitida no dia 19 ter proibido a realização de protestos organizados pelo PT e pela CUT na região da Avenida Paulista, a polícia se prepara para a possibilidade de o ato seguir em marcha até a via, onde se agrupavam movimentos que cobravam a condenação do petista. (Por METRÓPOLES)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.