'O jogo começa agora', diz FH em entrevista ao 'Valor Econômico'

Ex-presidente fez rápida análise sobre o futuro da política nacional após a condenação de Lula
POR O GLOBO
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso - Edilson Dantas / Agência O Globo
RIO - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, em uma análise sobre a conjuntura política após a condenação em segunda instância do também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, vê que "o jogo começa agora". Ao jornal Valor Econômico, o presidente de honra do PSDB comentou as possibilidades do ano eleitoral.
Para ele, mesmo com as mudanças, "as forças políticas vão se acomodar à nova realidade", o que significaria um centro fortalecido em detrimento de candidaturas mais radicais. Não haveria espaço para "outsiders" na corrida presidencial. Jair Bolsonaro (PSC-RJ), por exemplo, ficaria enfraquecido.
Ainda assim, o sociólogo também vê necessidade de certas mudanças mais abrangentes no sistema político que poderiam ser catalisadas pela condenação. Não haveria "como governar com essa quantidade de partidos", disse na entrevista.
Outro assunto abordado ao longo da conversa foi de uma possível candidatura de Luciano Huck à Presidência.
- Não desistiu - disse FHC sobre a postura do apresentador de TV.
De acordo com o ex-presidente, Huck teria vontade de participar do pleito, mas é "muito cru" para o cargo mais alto do Executivo. Com uma candidatura como a do atual governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB-SP), Huck não seria "a maior possilidade".
Houve ainda uma conversa sobre a atual conjuntura política nos países ocidentais. Para Fernando Henrique, "os políticos fecham os olhos" para a representatividade de seus eleitores e a extinção de postos de trabalho por conta da automatização de funções.
- Pode ser otimismo meu, mas a crise que vivemos sem muita comoção social vai deixar resultados - concluiu o ex-presidente.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.