Ações da Embraer têm forte alta após notícia sobre acordo com Boeing

Colunista de 'O Globo' informou que empresas concordaram em criar uma nova companhia focada em aviação comercial e negócio avançou, embora ainda não esteja fechado.
Embraer lança maior jato comercial do Brasil, o E195-E2 (Foto: Poliana Casemiro)
As ações da Embraer operam em forte alta nesta sexta-feira (2) impulsionadas por uma notícia de que as negociações para uma fusão com a fabricante de aeronaves americana Boeing avançaram. Em dia de queda do Ibovespa, as ações da Embraer chegaram a subir 9,26%, em sua máxima registrada nesta quarta-feira.
Às 16h00, os papeis da Embraer subiam 4,85%, enquanto o Ibovespa, principal índice de ações da bolsa brasileira , caia 1,16%.
A Embraer e a Boeing confirmaram em dezembro de 2017 que estão negociando uma fusão de operações. As conversas entre as duas empresas ocorrem após as suas principais concorrentes - a Airbus e a Bombardier - fecharem um acordo para combinar operações na área de aviação comercial.
As duas empresas teriam decidido criar uma terceira empresa para unir seus negócios de aviação comercial, de acordo com informações publicadas nesta sexta-feira (2), pela colunista do jornal O Globo, Miriam Leitão. Essa configuração deixaria a divisão de aviação militar da Embraer independente, atendendo um desejo do governo brasileiro.
O G1 procurou a Embraer para comentar a questão e aguarda posicionamento.
O governo brasileiro tem uma "golden share", uma ação que lhe dá direitos especiais sobre a Embraer, como por exemplo vetar uma negociação com uma concorrente. Essa ação foi concedida à União durante o processo de privatização da empresa, nos anos 90.
A Embraer é hoje a maior fabricante de aviões comerciais regionais e sua principal concorrente é a canadense Bombardier. Já o foco da Boeing é fabricar aviões maiores e seu maior competidor no mundo é a francesa Airbus. (G1)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.