Advogados temem depoimento de Trump em investigação sobre Rússia

O temor de que seja preso por falar mentiras tem feito os advogados a aconselharem o presidente a não prestar depoimento perante Mueller
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante evento do Partido Republicano na cidade de Thurmont, localizada no estado americano de Maryland - 06/01/2018 (Yuri Gripas/Reuters)
Os advogados do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sugerem que ele não preste depoimento para o promotor especial responsável pelas investigações do caso de interferência russa nas eleições, Robert Mueller, informou o New York Times. O temor é de que o presidente, conhecido por declarações falsas e por se contradizer com frequência, seja preso por mentir aos investigadores.
A decisão sobre se Trump irá ou não responder às perguntas de Mueller deve sair nas próximas semanas. Se ele se recusar a prestar depoimento, as investigações podem se arrastar por mais algum tempo. Nesse caso, Mueller pode pedir para que o presidente testemunhe em frente ao grande júri e as investigações podem acabar sendo decididas na Suprema Corte.
Segundo o jornal, a recusa também poderia trazer consequências políticas. A suspeita de que o presidente poderia estar escondendo informações poderia refletir nas campanhas do partido Republicano para as eleições de novembro.
Mesmo assim, os advogados têm aconselhado Trump a rejeitar o encontro com Mueller. O primeiro argumento é de que o promotor não teria posição legal para questionar o presidente sobre determinados assuntos, como quando Trump teria supostamente dado uma resposta falsa ao NYT quando questionado sobre o encontro entre seu filho Trump Jr. e advogados russos na Trump Tower.
Além dos advogados, outras pessoas próximas à Casa Branca também têm aconselhado o presidente e não prestar o depoimento. Newt Gingrich, ex-presidente da Câmara e um conselheiro informal do presidente afirmou no mês passado ao Fox and Friends que “A ideia de colocar Trump em uma sala com cinco ou seis advogados endurecidos e muito inteligentes, que estão tentando enganá-lo e prendê-lo, seria uma ideia muito, muito ruim”.
O advogado da Casa Branca Ty Cobb, por outro lado, defende que o presidente deveria colaborar com as investigações.
No entanto, a recusa colocaria Trump em discordância com suas últimas declarações, nas quais afirmou estar ansioso para conversar com Mueller. “Estou ansioso por isto, na verdade”, disse no mês passado, falando a repórteres na Casa Branca. “Eu faria isto sob juramento”. (veja)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.