'Escola sem armas é um ímã para más pessoas', diz Trump

Chefe de estado americano defendeu que professores com treinamento especial sejam armados para evitar novos ataques.
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que uma "escola sem armas é um ímã para más pessoas". A declaração foi feita em seu Twitter nesta quinta-feira (22).
Ele negou, no entanto, ter defendido que armas sejam dadas para todos professores mas insistiu que uma proposta para armar alguns docentes teria um efeito dissuasivo para evitar os tiroteios que atingem as escolas americanas com frequência.
O assunto sobre o qual o mandatário discorreu no Twitter foi inicialmente tema de um encontro entre Trump e sobreviventes de tiroteios em instituições de ensino na Casa Branca, na quarta-feira (21).
Na tarde de quarta-feira (14), Nikolas Cruz, de 19 anos, invadiu a Stoneman Douglas High School, em Parkland, com um rifle AR-15 e vários carregadores. Sozinho, ele matou 17 pessoas e acabou sendo preso logo após a ação. O novo massacre levantou novamente a questão da importância no controle na venda de armas no país.
O presidente dos EUA, Donald Trump, ouve estudantes de escolas onde ocorreram massacres durante reunião na Casa Branca, na quarta-feira (21) (Foto: Reuters/Jonathan Ernst)
“Eu nunca disse dar armas para os professores como divulgaram redes de falsas notícias @CNN e @NBC. O que eu disse é que considerava a possibilidade de dar armas ocultas a professores com treinamento especial militar- somente os melhores. 20% dos professores, no máximo, estariam aptos”, afirmou em tuíte.
“Imediatamente poderiam reagir caso um doente selvagem chegue a escola com más intenções. Professores altamente treinados também servem para coibir covardes que fazem isso. [São] Muito mais ativos e custam muito menos do que os guardas. Uma escola sem armas é um imã para pessoas ruins. ATAQUES ACABARIAM!”, defendeu.
Mais tarde, disse a jornalistas que recomenda que esses professores treinados ganhem um bônus.
Na série de mensagens no Twitter, o presidente também reafirmou que pressionará para aumentar de 18 a 21 anos a idade mínima para a compra de uma arma. Ele também insistirá em um reforço das verificações de antecedentes criminais e verificações de saúde mental de potenciais compradores, segundo a France Presse.
Em um encontro com sobreviventes de massacres em escolas nesta quarta-feira (21), na Casa Branca, Trump prometeu que o país será "muito forte" em checagens de antecedentes e acompanhamento de saúde mental após o ataque a uma escola na Flórida.
Trump e seu vice-presidente, Mike Pence, receberam alunos, professores e parentes de vítimas da Marjory Stoneman Douglas, de Parkland, na Flórida, e também de Columbine, em 1999, e da Sandy Hook, em 2012. (G1)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.