INTERVENÇÃO NASCEU COM DENÚNCIA DE TORQUATO CONTRA PM DO RIO

DENÚNCIA SOBRE ALIANÇA DO CRIME COM AUTORIDADES FOI O ESTOPIM
MINISTRO TORQUATO JARDIM.
A intervenção decretada pelo presidente Michel Temer começou a ser pensada quando o ministro Torquato Jardim (Justiça) fez uma grave revelação, no fim de outubro: o comando da Polícia Militar do Rio de Janeiro era produto de negociação de deputados estaduais suspeitos com o crime organizado. Houve protestos do governo Pezão e de oficiais da PM, mas o ministro estava bem informado, sabia o que dizia. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
O interventor, general Braga Netto, tem autonomia para nomear quem considerar mais adequado para o comando da PM do Rio.
Temer resistia à intervenção, mas a opção era lembrada no Planalto sempre que a criminalidade mostrava suas garras no Rio de Janeiro.
Temer afastou sugestões para decretar Estado de Defesa e até Estado de Sítio. Essas opções só serão avaliadas se a intervenção fracassar.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.