Tatá Werneck admite uso de Photoshop em fotos de revistas e garante ter vaidade zero

'Não tem nada mais importante que as personagens', afirma a atriz
Tatá Werneck, a Lucrécia de 'Deus Salve o Rei' - Raquel Cunha/TV Globo
Lucrécia (Tatá Werneck), a princesa ninfomaníaca de Alcaluz, chegou chegando em 'Deus Salve o Rei', da Globo. Depois de conquistar o rei Rodolfo (Johnny Massaro) mandando uma pintura dela nada fiel à realidade e arrebatar o monarca com seu humor e sedução peculiares, a alteza finalmente desencalha e vira rainha.
"Eu não sou essa pervertida, não sei seduzir, sou muito mais aquela 'brotherzinho', que chega falando: 'Qual é, galera?'", diz Tatá, que na trama não vai se satisfazer com o marido e vai desejar outros homens. "Essas cenas são uma descoberta para mim. E elas são mais difíceis. Acho que minha sedução é mais o senso de humor. Sabe aquela pessoa que você olha e fala: 'Essa pessoa é feia, tem chifres, mas tem um borogodó', sou eu", brinca ela. "Acho que todos os seres humanos em algum momento já se acharam feios e bonitos. Às vezes a gente se olha no espelho e pensa: 'Estou me sentindo linda', e às vezes a gente pensa: 'Meu Deus, o que aconteceu?'", desabafa em tom de humor.
PHOTOSHOP
Sua personagem fez quase um photoshop medieval. Como você lida com retoques em suas fotos? "Juro para você, eu não faço nenhum retoque, exceto em revista. Em revista até peço por favor" entrega a atriz. "No Instagram, nunca fiz, dou minha palavra de honra, porque não sei fazer isso. Uma vez mandei uma foto minha para a Bruna (Marquezine) e falei: 'Me bronzeia'", completa.
Apesar de pedir retoques em revistas, Tatá reforça que a importância da beleza natural. "Estamos num momento tão bonito de mostrar nossos defeitos, celulites. A gente vê a Fernanda Montenegro, e a Laura Cardoso na novela, mantendo todas as marcas da idade, eu acho lindo. Nas revistas, quando peço para o pessoal mexer em alguma coisa, eu gosto que falem que naquela imagem teve Photoshop, porque não temos que incentivar uma coisa que não é realidade para ninguém", frisa.
JÁ TRAIU
Na história de Daniel Adjafre, Lucrécia é rude, inconveniente, controladora e ninfomaníaca. "Ela tem uma libido exacerbada, o que causa muita dor nela. Ela é rainha, se casa com um rei, mas se sente atraída por outros homens, e se pune por isso", diz a atriz, que confessa que já traiu. "Traí uma única vez na vida. Eu namorei por 3 anos um rapaz, terminamos, nesse meio tempo, fiquei com outro, que foi viajar, e eu ainda gostava daquele. Daí voltamos e namorei com ele por mais 6 anos, então, ao todo foram 9 anos. Eu não sou de trair, sou mega fiel, mega leal e nem só por respeito à pessoa com quem estou, mas é uma coisa minha mesmo", explica ela, que está noiva do também ator Rafael Vitti. "Acho que nem homens nem mulheres devam trair, mas se fizerem, nenhum dos dois devem ser julgados. Não é meu caso, jamais traí o Rafa, se é o que você está pensando", brinca, aos risos.
CASAMENTO
Por falar em noivado, Tatá conta que já se considera casada. "Sinto que contrato do casamento serve só para as pessoas saberem quem vai ficar com o quê quando terminarem. Não vejo necessidade de me casar mesmo, só de fazer uma celebração para encontrar todo mundo, inclusive minha avozinha, mas estou feliz demais assim", afirma.
BELEZAS
Para compor a personagem, Tatá conta que o figurino e a caracterização ajudaram a chegar no resultado final que é visto no vídeo. "A equipe da novela chegou para mim e disse: 'Tatá, vamos te enfeiar, vamos colocar prótese'. Mas quando colocaram o figurino e o cabelo falaram: 'Não precisa mais, chegamos ao nível de feiúra que a gente queria'. Achei maneiro", provoca."Eles propuseram uma prótese como fizeram na Vivianne Pasmanter em 'Novo Mundo', mas é assim, onde tem uma Marina Ruy Barbosa, e uma Bruna Marquezine, quando corta para mim, é aquele choque", acrescenta.
ZERO VAIDADE
Tatá afirma que possui zero vaidade quando o assunto é o trabalho. "Em cena, não tenho nenhum tipo de vaidade, então, qualquer trabalho que possam propor para mim, não ligo", diz a atriz. Tanto, que ela engordou seis quilos para dar o tom desejado da personagem. "Foi opção minha. Mas a roupa também tem um pouco de enchimento", conta a carioca. "O dia que eu priorizar a minha vaidade como pessoa acima da personagem, pretendo não continuar na carreira, porque não tem nada mais importante que as personagens em nosso trabalho. Então, para mim não cabe essa coisa de: 'Ai, não quero'", reforça.
CONQUISTAS
A carioca diz que está bem com o seu corpo. E que autoestima não tem a ver com beleza, mas como a pessoa se sente. "E me sinto tão feliz. Eu faço o que eu amo, pode escrever aí: 'Chorando muito, ela diz'. Mas é sério, eu estava pensando outro dia sobre isso. Na escola, eu era uma menina diferente das outras, com um comportamento esquisito e fui conquistando tudo o que eu queria com o meu trabalho. Fiz campanha de cabelo, de carro, e sem mudar nada na minha personalidade, só com as coisas que acredito", observa.
'LADY NIGHT'
Essa personalidade da Tatá a ajudou tanto que com seu jeito descontraído, ela comanda um dos programas de maior sucesso do Multishow: o talk show 'Lady Night'. "Quando estou apresentando, eu sou louca. Mas ao mesmo tempo sou mega responsável, mega careta, talvez a mais careta das minhas amigas. No 'Lady Night', eu assumo uma persona para apresentar", explica ela, que por conta dos trabalhos na novela, não pode se dedicar paralelamente ao programa. "Não dá porque eu participo da escrita dos roteiros, composição das músicas, e mesmo tendo a melhor equipe do universo, não consigo fazer tantos programas assim, senão eu faleço. Assim que acabar a novela, farei outra temporada", avisa. Abriria a mão da carreira de atriz para se dedicar à de apresentadora? " O 'Lady Night' me realiza muito, mas não conseguiria abrir mão, porque amo as duas coisas", frisa.
CONVIDADOS
Tatá comemora a repercussão positiva do 'Lady Night'. Tanto que muitos artistas se convidam para a atração. "Encontrei a Grazi (Massafera) na Globo outro dia, e ela disse que queria ir, o Luciano Huck falou que vai na próxima temporada também. Eu adoraria entrevistar a Xuxa, o Jô Soares, o (Pedro) Bial, o Wagner Moura. O Caetano Veloso, que ia na segunda temporada, mas não pôde porque a irmã dele morreu naquele momento. O que é legal nesse projeto é a desconstrução daquelas pessoas", conta ela, que não avisa nada do que vai acontecer no programa aos convidados. "Eu não entrevistaria pessoas que não admiro", afirma.
PRECONCEITO
Quanto ao fato de estar em sua quarta novela e consequentemente, quarto personagem de humor, Tatá diz que está feliz por ter trabalho. "Tem tantos atores talentosos sem emprego e passando dificuldade por aí, que sou grata por fazer o que amo. Amo fazer comédia, e amo fazer as pessoas rirem. Não é só meu trabalho, é quase minha vocação na vida", salienta. "Na faculdade de teatro e nas peças que atuei, pude fazer coisas diferentes da comédia. Eu adoraria fazer uma série das 23h. Dentro da comédia existem tantas possibilidades, e as pessoas falam: 'Tatá só faz isso'. Eu fiz várias peças de teatro. As pessoas viram? Não. A comédia ainda sofre preconceito", desabafa. (odia) 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.