Crimes de estupro de vulnerável aumentam 18,2% em Minas Gerais

Os registros de estupro, sobretudo de estupro de vulnerável, subiram e são considerados pelo governo um dos principais desafios do sistema de segurança pública neste ano
Dados foram apresentados na manhã desta sexta-feira (23)
Minas Gerais fechou 2017 com queda de 12,96% nos registros de crimes violentos em comparação com o ano anterior, com destaque para a redução de 14% no número de roubos e de 5,4% no total de homicídios consumados. Por outro lado, os registros de estupro, sobretudo de estupro de vulnerável, subiram e são considerados pelo governo um dos principais desafios do sistema de segurança pública neste ano.
Os índices de criminalidade foram apresentados nesta sexta-feira (23) pelo governador Fernando Pimentel (PT) e representantes dos órgãos de segurança do Estado.
"O investimento que nós estamos fazendo nas forças de segurança está obtendo resultados. Nós temos hoje um dos Estados mais seguros do Brasil", afirmou Pimentel. Segundo ele, a queda dos índices de criminalidade é resultado do aumento da estrutura e do efetivo das polícias no Estado.
Sobre o aumento de 18,24% nas ocorrências de estupro de vulnerável consumado e de 18,82% de estupro de vulnerável tentado, o secretário de Estado de Segurança Pública, Sérgio Barboza Menezes, pontuou que está havendo aumento de denuncias dos crimes. "As forças de segurança estão com olhar para melhorar essa investigação e dar uma resposta a altura a essa incidência criminal".
Segundo a Polícia Militar, as bases comunitárias de segurança, implantadas em Belo Horizonte no ano passado, serão levadas para as cidades de Contagem, Betim, Ribeirão das Neves e Vespasiano, na região metropolitana, até junho, e a expectativa é que elas contribuam para a redução dos crimes. A ampliação do horário de funcionamento das bases na capital também está sendo estudada, e a ideia é que as estruturas passem a funcionar de 7h à 1h da madrugada. (OTEMPO)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.