Direita conquista mais votos em eleição legislativa colombiana

Candidatos à eleição presidencial também foram decididos em votação primária
O ex-presidente da Colômbia Álvaro Uribe fala com os jornalistas ao lado do senador uribista Iván Duque, seu candidato presidencial, em Bogotá (Raúl Arboleda/AFP)
Os partidos de direita conquistaram a maior parte dos votos nas eleições legislativas da Colômbia neste domingo. Com 98% dos votos para o Senado apurados, o partido Centro Democrático, fundado pelo ex-presidente colombiano Álvaro Uribe, conquistou 16,56% da preferência do eleitorado e 19 assentos na casa. Somando-se ao aliado Partido Conservador, o grupo terá a maior bancada no Senado, com 34 membros.
Já na Câmara dos Representantes, a maior força ficou com a aliança entre o Partido Liberal, do ex-negociador-chefe do governo com as FARC, Humberto de la Calle, e pelo Partido da Unidade Nacional, do presidente Juan Manuel Santos, que juntos conquistaram 60 assentos.
A união Centro Democrático e Partido Conservador aparece em segundo lugar na Câmara baixa, com 53 membros. Nenhum dos dois grupos, contudo, conquistou a maioria no Congresso – o Senado tem 108 assentos, e a câmara baixa 172. Dessa forma, deverão fazer alianças com o partido liberalista Mudança Radical, sigla que conquistou 16 vagas no Senado e 30 na Câmara.
Essas eleições também marcam a estreia da ex-guerrilha das Farc como partido político. O grupo, que preservou sua sigla, mas mudou de nome para Força Alternativa Revolucionária do Comum, desmobilizou sua guerrilha sob um acordo de paz de 2016.
A Farc, contudo, registraram baixo apoio popular. O partido da ex-guerrilha recebeu apenas 0,22% dos votos na câmara baixa e 0,35 por cento no Senado.
Mas, como parte do acordo de paz com o governo, tem garantido cinco cadeiras em cada uma das Casas legislativas colombianas.
Primárias presidenciais
Também aconteceram neste domingo as eleições primárias que decidiram os candidatos às eleições presidenciais de maio. O candidato de direita Iván Duque e seu rival de esquerda Gustavo Petro representarão suas respectivas coalizões na votação.
Duque, protegido do ex-presidente Álvaro Uribe e porta-estandarte do partido Centro Democrático, derrotou os outros postulantes, Marta Lucia Ramírez e Alejandro Ordóñez, e ficou com a indicação de sua coalizão. Ele tinha mais de 3,9 milhões de votos com 96% do total das urnas apuradas.
Petro, de 57 anos e figura destacada da esquerda, é ex-membro do antigo grupo guerrilheiro M-19 e ex-prefeito de Bogotá. Derrotou Carlos Caicedo e foi nomeado por sua coalizão somando 2,7 milhões de votos.
Isso representou cerca de 30% a menos de votos do que Duque. Ainda assim, os dois têm aparecido próximos em pesquisas para a eleição presidencial.(veja)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.