Embaixador diz que resposta de Moscou aos EUA será proporcional

Donald Trump ordenou a expulsão de 60 diplomatas russos dos Estados Unidos pelo envenenamento do ex-espião Sergei Skripal
O embaixador da Rússia em Washington, Anatoly Antonov - 24/04/2009 (Max Rossi/Reuters)
O embaixador da Rússia em Washington, Anatoly Antonov, disse nesta segunda-feira que a decisão americana de expulsar diplomatas russos foi “equivocada” e está destruindo o pouco que resta dos laços entre Estados Unidos e Rússia, relatou a agência de notícias russa RIA.
Comentando sobre possível retaliação da Rússia, Antonov disse que a resposta de Moscou será proporcional e que os Estados Unidos só entendem força, ainda segundo a agência.
Também nesta segunda-feira, o senador russo Vladimir Dzhabarov disse que a Rússia irá expulsar 60 membros de missões diplomáticas dos Estados Unidos em resposta à expulsão de russos pelos Estados Unidos, segundo a RIA.
Em comunicado, o Ministério de Relações Exteriores expressou seu “enérgico protesto” pela decisão de países da União Europeia e da OTAN. “Acreditamos que este é um passo como hostil e que não ajuda a estabelecer as causas e a busca pelos culpados”, afirmou o texto sobre o ocorrido em 4 de março, quando o ex-espião russo Sergei Skripal e a filha dele, Yulia, foram envenenados, segundo o Reino Unido, com uma substância química de fabricação russa.
O órgão afirmou que este “gesto provocador” dos países que “seguem o jogo das autoridades do Reino Unido (…) é a continuação da política de confronto que aponta a uma piora da situação”.
Os Estados Unidos anunciaram mais cedo nesta segunda-feira que expulsaram 60 diplomatas russos devido a um ataque com uso de agente nervoso contra um ex-espião russo no Reino Unido, ocorrido no início deste mês.
O governo de Donald Trump também anunciou que fechará o consulado da Rússia em Seattle, que acredita servir como principal posto para as operações de inteligência russa no país, segundo o jornal Washington Post.
A União Europeia seguiu o mesmo caminho. Segundo o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, catorze países do bloco expulsarão diplomatas russos.
Tusk não especificou quais países da UE estavam expulsando diplomatas, mas Alemanha, França, Itália, Dinamarca, Letônia, Lituânia e a Polônia fizeram anúncios individuais. Mais declarações são esperadas nesta segunda-feira.
O Reino Unido já havia expulsado 23 diplomatas do governo de Vladimir Putin pelo mesmo caso. (veja)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.