Hamas prende suspeito de tentar matar premiê palestino em Gaza

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, havia responsabilizado o grupo islâmico pela explosão, mas os militantes negaram a autoria
Um veículo danificado durante o comboio do primeiro-ministro palestino Rami Hamdallah, é removido após uma explosão no norte da Faixa de Gaza - 13/03/2018 (Mohammed Salem/Reuters)
Forças de segurança comandadas pelo grupo militante islâmico Hamas em Gaza prenderam o principal suspeito da tentativa de assassinato do primeiro-ministro da Palestina, Rami Hamdallah, na semana passada, depois de uma troca de tiros que deixou dois agentes de segurança mortos nesta quinta-feira, informou uma autoridade de segurança.
O suspeito, que não foi identificado de imediato, ficou ferido durante o tiroteio com forças de segurança que cercaram seu esconderijo no centro da Faixa de Gaza, disse a autoridade. Dois outros homens armados também foram detidos, acrescentou.
O comboio de Hamdallah e do chefe de segurança palestino, Majid Faraj, foi atacado por uma bomba de beira de estrada em Gaza no dia 13 de março. Nenhum dos dois ficou ferido.
Na segunda-feira, o presidente palestino, Mahmoud Abbas, responsabilizou o Hamas pela explosão, mas o grupo negou a autoria e condenou a acusação.
Os comentários de Abbas ameaçaram esforços de reconciliação para encerrar uma disputa que já dura uma década entre sua facção, Fatah, e o Hamas, que controla Gaza. (veja)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.