LÍDER DO BLOCÃO QUESTIONA O DESTINO DO DINHEIRO DA INTERVENÇÃO NO RIO

ARTHUR LIRA VÊ O CONGRESSO DE CÓCORAS DIANTE DA INTERVENÇÃO
Nessa quarta-feira (21), o deputado federal Arthur Lira, que lidera a maior bancada da Câmara dos Deputados, do Progressistas, e o maior bloco partidário, com 244 parlamentares de 11 partidos, cobrou explicações do ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Moreira Franco, sobre os recursos destinados às Forças Armadas para realizar a intervenção federal no Rio de Janeiro.
Da tribuna da Câmara, o parlamentar alagoano subiu o tom das críticas ao governo Temer, ao afirmar que vê o Congresso acocorado por ter votado a proposta do Palácio do Planalto. E ainda questionou “para onde foi o dinheiro” previsto para as Forças Armadas concretizar a “mudança drástica” esperada pela população do Rio.
DEPUTADO ARTHUR LIRA VAI QUESTIONAR MOREIRA FRANCO.
“Defendo e votei a favor da intervenção no Rio de Janeiro, como seria pacífico à intervenção em qualquer estado brasileiro. Mas o que é que está acontecendo com essa intervenção? Está lá o Exército dizendo que não tem dinheiro. Está aqui o Congresso Nacional acocorado porque votou a favor da proposta que veio do Palácio do Governo. Está a população do Rio de Janeiro sem sentir até agora nenhuma mudança drástica. Para onde e por que não foi o dinheiro para atender as necessidades das Forças Armadas?”, questionou Arthur Lira.
O Líder do Progressistas ainda pedirá explicações por escrito ao ministro Moreira Franco sobre os recursos que devem chegar ao Rio de Janeiro.
“Precisamos que o dinheiro chegue. As Forças Armadas não podem funcionar, a intervenção não pode se desmoralizar e o ministro Moreira Franco possivelmente vai ter que dar explicações porque eu cobrarei, inclusive, por escrito", disse o líder do blocão da Câmara.
Assista: 

CASO MARIELLE
No mesmo discurso, Arthur Lira lembrou dos assassinatos de dois vereadores do município de Batalha, no Sertão de Alagoas, entre novembro e dezembro de 2017, ao lamentar a morte da vereadora do PSOL do Rio de Janeiro, Marielle Franco. Ele classificou o fato como absolutamente lamentável e destacou a necessidade de reação de toda a sociedade, em especial do poder público, que precisa adotar medidas efetivas para mostrar soluções.
“No meu estado, em menos de dois meses, dois vereadores foram trucidados na cidade de Batalha e não houve repercussão nacional. O meu estado de Alagoas é o estado de maiores índices de violência urbana, tanto na capital quanto no interior, e não repercute no cenário nacional”, disse o parlamentar, ao citar as mortes de Tony Pretinho (PR) e Neguinho Boiadeiro (PSD). (DP) 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.