Macri pressiona Temer por acordo automotivo com a União Europeia

O presidente brasileiro ouviu um tanto do vizinho argentino na semana passada
O presidente Michel Temer durante a 51ª edição da Cúpula dos Chefes de Estado do Mercosul, no Palácio do Itamaraty, em Brasília - 21/12/2017 (Evaristo Sá/AFP)
Michel Temer passou por uma situação no mínimo insólita com o argentino Maurício Macri. Na posse do presidente chileno Sebastian Piñera, no último domingo (11), Macri pressionou Temer a aceitar as condições impostas pela União Europeia em um novo acordo para o setor automotivo do Mercosul.
Os europeus querem, entre outras coisas, afrouxar a regra que exige fabricação de 60% das peças dos veículos dentro do Mercosul. Macri é um entusiasta da ideia.
Para o argentino, o Brasil deveria aceitar logo suas exigências. Falou um monte na orelha de Temer. “Você está do nosso lado ou deles?”, perguntou o emedebista.
Ao chegar em casa, após ouvir um tanto, Temer foi negociar os novos termos e viu que as condições impostas pelos europeus eram ainda melhores do que o que foi vendido pelo presidente vizinho. (veja)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.