Petrobras formará comissão para debater futuro da Fafen

Em reunião realizada nesta terça-feira (27), o presidente da Petrobras, Pedro Parente, decidiu formar uma comissão para debater o futuro da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen). Presente no encontro, o deputado federal Nelson Pelegrino (PT) entregou a Parente requerimento com 29 questionamentos sobre o fechamento das unidades da Fafen.
O presidente da petroleira anunciou a suspensão, em 120 dias a partir de 30 de junho, do fechamento das unidades. "Parente alegou meras questões técnicas e que não faz parte do negócio da Petrobras a produção de fertilizantes. Nós argumentamos que uma das missões da estatal é o desenvolvimento nacional e a agricultura é lastro da nossa economia. Além do impacto da demissão dos trabalhadores e na arrecadação estadual, nossa produção não pode ficar refém de fertilizantes estrangeiros", explicou Pelegrino. Para ele, o recuo da Petrobras representou uma "grande vitória para os trabalhadores e para a soberania nacional".
A senadora Lidice (PSB) e o deputado federal Afonso Florence (PT-BA) foram os primeiros a se pronunciar contra a "hibernação" da Fafen. "Somos contra a hibernação das fábricas. O governo Temer, seus deputados e aliados, mais uma vez perseguem a Bahia. No prazo de 120 dias, que começa a contar a partir do dia 30 de junho, pretendem fechar as fábricas, ou seja, depois das eleições", afirma Afonso Florence.
Segundo Lidice, o governador Rui Costa está empenhado para garantir 700 empregos na fábrica de Camaçari. "O que mais incide na Fafen é o preço do gás, que é de responsabilidade da Petrobras, que cobra um preço exorbitante, acrescenta Lidice". (BNews)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.