TRAGÉDIA NA BAHIA - Identificados os quatro mortos no desabamento de prédio em Salvador

Um menino de 12 anos e um garotinho de 1 ano estão entre as vítimas fatais na tragédia de Pituaçu, ocorrida na manhã desta terça.

Sete horas após o desabamento de um imóvel na Rua Alto de São João, em Pituaçu, os bombeiros localizaram mais um corpo por volta de 13h20 desta terça-feira (13). A doméstica Rosemeire Pereira, 34 anos, é a quarta vítima do desabamento do imóvel de quatro pavimentos. O filho dela, Arthur, de apenas um 1 ano, foi retirado dos escombros por volta de meio-dia.
O corpo do filho mais velho de Rosemeire, Robert de Jesus, 12, foi o primeiro a ser resgatado dos escombros durante operação de resgate dos bombeiros militares. Já o irmão dela, Alan Pereira de Jesus, 31, foi resgatado sem vida por volta de 11h10. Os quatro corpos encontrados serão periciados por equipes do Departamento de Polícia Técnica (DPT) – após a localização do corpo de Rosemeire, as buscas foram encerradas. Outras quatro pessoas foram resgatadas com vida.
Irmão de Rosemeire, Alex Pereira de Jesus, 29, sua mulher Beatriz, 30, e a filha do casal, Sabrina Menezes, de 11 meses, foram retirados com ajuda da população. Juntos com Rosângela Santana de Jesus, 30, que passou mal, mas não estava no imóvel, eles receberam os primeiros socorros do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Beatriz e Sabrina foram levadas para o Hospital Geral do Estado (HGE).
O major da PM, Ramon Diego, informou que por volta das 11h as equipes de resgate conseguiram chegar no último pavimento da construção. “Aqui é uma região de aclive. Já localizamos um possível sítio de escombros na parte final da edificação. Resgatamos mais um corpo, de um homem sem vida. Já localizamos um local onde estão essas duas outras possíveis vítimas que, segundo populares, são a mãe e o bebê”, afirmou o major.
Um helicóptero da PM ficou de prontidão, auxiliando nas buscas. “Existindo a necessidade de transporte rápido de algum sobrevivente para um hospital de grande porte, a aeronave e equipe estão preparadas”, disse o comandante do Graer, tenente-coronel Renato Lima. O clima ficava mais tenso à medida que os escombros removidos por populares e profissionais da Limpurb subiam para a rua principal. Durante o resgate, foi necessário fazer silêncio em diversos momentos para que os bombeiros pudessem escutar possíveis pedidos de socorro das vítimas. Um dos equipamentos usados pelos bombeiros foi uma microcâmera com microfone para captar possíveis sons emitidos por sobreviventes. A área foi isolada e a informação chegava aos jornalistas só por populares que estavam subindo com os escombros. (Correio)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.