Em Discurso Polêmico Ministro Do Supremo Deixa Escapar “MOTIVO” Que O Faz Não Querer Lula Preso

O polêmico ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), #gilmar mendes, discusou no VI Fórum Jurídico de Lisboa – Reforma do Estado Social no Contexto da Globalização, em Portugal, e deu declarações sobre o importante papel do Supremo em 4 de abril, dia que será definido o futuro do ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva.
Gilmar Mendes disse que se Lula for preso, a ”imagem do Brasil será manchada”. O ministro avaliou que um ”pré candidato” à Presidência do Brasil, sendo bem pontuado nas pesquisas eleitorais, não pode ir para a prisão. Mendes também se justificou dizendo que mudou seu entendimento sobre prisões após condenação em segunda instância ao constatar que tudo virou ”ordem de prisão” e que os condenados também precisam de ”proteção” da Justiça.
Um fato que chamou atenção em Mendes foi ele deixar escapar o por quê de não querer que Lula vá preso. O ministro avaliou que se prenderem Lula, outros poderão entrar em cana rapidamente. O ministro citou que a prisão de A vai levar junto o B e o C, e que a população deve estar preparada para isso.
Gilmar Mendes não afirmou como prevê o resultado do habeas corpus, mas deixou claro que o fato gerará incompreensão por parte da população. O ministro disse que haverá os que acharão a decisão ”bem feita” e os que irão criticar de diversas maneiras. No entanto, Mendes acredita que depois disso a população se conformará com a decisão facilmente.
Outra questão que incomoda o ministro é ter milhares de ”juízes” espalhados pelo Brasil, dando palpites em algo que ”não tem conhecimento”, ele atribuiu que há uma ”terceira turma”.
Gilmar Mendes é um dos ministros mais criticados da Suprema Corte, ele já conseguiu livrar da cadeia diversos condenados em investigações da Operação Lava Jato por meio de habeas corpus. Gilmar enfatiza que quer Lula livre da cadeia e deixou claro que apoiará o ex-presidente.
Por outro lado, há uma pressão muito forte sobre o Supremo, movimento cívicos preparam uma grande manifestação nesta terça-feira, 3 de abril, para enfatizar o desejo de ver Lula preso e reafirmar que prisões após condenação em segunda instância devam acontecer.
Procuradores, promotores e juízes também se manifestam sobre a decisão do próximo dia 4. Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato, contou que ficará em greve de fome ate o Supremo tome a grande decisão. O momento está sendo considerado uma marco na história do tribunal e do Brasil.
(NBO)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.