Imprensa internacional repercute decisão do STF de rejeitar habeas corpus a Lula

Caso foi manchete do argentino 'Clarín' mesmo antes do final da votação. Espanhol 'El País' teve acompanhamento em tempo real e 'NY Times' também destacou decisão dos juízes.
Por G1
Diversos veículos de imprensa de outros países acompanharam a sessão desta quarta-feira (4) do STF que negou o pedido de habeas corpus do ex-presidente Lula e repercutiram o resultado a votação.
O site do jornal argentino “Clarín”, que já dava manchete ao caso antes mesmo do fim da votação, destacou o desenlace "dramático", com o desempate nas mãos da presidente do STF, Cármem Lúcia. Ao lado da matéria principal, foi publicado ainda um perfil de Lula e um link com um “passo a passo” para o caso do triplex do ex-presidente brasileiro.
Argentino 'Clarín' destacou desenlace dramático de votação no STF (Foto: Reprodução/Clarín)
O jornal espanhol “El País”, que tem uma versão em português, manteve um tempo real em seu site espanhol, acompanhando a votação, abaixo de uma matéria que explicava o significado da audiência desta quarta-feira.
Espanhol 'El País' acompanhou votação em tempo real (Foto: Reprodução/El País)
No “NY Times”, uma matéria atualizada ainda ao longo da votação afirmava: “Corte do Brasil avalia petição de Lula para evitar prisão” .
Antes mesmo do fim da votação o 'NY Times' também acompanhava a questão do habeas corpus de Lula (Foto: Reprodução/NY Times)
No site em inglês da rede britânica BBC, o título afirmava: "Lula do Brasil deve iniciar período na prisão, determina Suprema Corte", com um pequeno texto informando que o ex-presidente deve ser detido enquanto apela de sua condenação por corrupção.
Site da BBC em inglês diz que Lula deverá ser preso (Foto: Reprodução/BBC)
No jornal italiano "Corriere Della Sera", uma matéria foi publicada após o voto de Rosa Weber, contra o habeas corpus, destacando que a decisão da magistrada apontava para um desfecho desfavorável ao ex-presidente.
Italiano 'Corriere Della Sera' publicou matéria após o voto da magistrada Rosa Weber (Foto: Reprodução/Corriere Della Sera)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.