Brasil registra mais de 26 mil assassinatos em apenas seis meses

Índice nacional de homicídios criado pelo G1 acompanha mês a mês os dados de vítimas de crimes violentos no país. Como não estão contabilizados números de Maranhão, Paraná e Tocantins, que não divulgam a estatística completa, dado é ainda maior.
Nos seis primeiros meses de 2018, ao menos 26.126 pessoas foram assassinadas no Brasil. Este índice pode ser ainda maior, uma vez que os estados do Paraná, Maranhão e Tocantins não divulgaram todos os números. Em todo o ano de 2017, foram contabilizados 59.103 homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte, segundo levantamento feito pelo G1.
O ‘Monitor da Violência’, criado pelo site em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, contabiliza homicídios dolosos, latrocínios (roubo seguido de morte) e lesões corporais seguidas de morte, chamados de crimes violentos letais e intencionais. A média foi de 4.350 casos por mês, sendo a taxa de mortes violentas de 12,5 por cada 100 mil habitantes.
O estado que apresentou o pior índice foi Roraima, com a média de 27,7 mortes por cada 100 mil habitantes, seguido por Rio Grande do Norte (27,1) e Ceará e Acre, ambos com 26. Já o estado que apresentou a menor taxa foi São Paulo, com índice de 3,8 mortes por cada 100 mil habitantes. Maranhão, Paraná e Tocantins são os únicos estados que não informam os dados completos dos seis meses.
“Nesses cenários, se multiplica a oportunidade de ação para indivíduos e grupos que tentam se impor pela violência. O crescimento das taxas de homicídio é o principal sintoma da fragilização da legitimidade das instituições democráticas na região (falando especificamente de Roraima)”, diz Bruno Paes Manso, do NEV-USP, em entrevista ao site. (com G1e TN)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.