Apresentadora da BBC morre dias após postar que tinha pouco tempo de vida

BBC
Direito de imagem PAUL COOPER/SHUTTERSTOCK Image caption Rachael Bland se despediu do público nas redes sociais e contou que estava montando um arquivo com memórias e conselhos para o filho de 2 anos
A apresentadora de rádio da BBC Rachael Bland morreu na manhã desta quarta-feira, aos 40 anos, quase dois anos após ser diagnosticada com câncer. Ao saber que teria poucos dias de vida, ela se despediu do público nas redes sociais e contou que estava "correndo contra o tempo" para fazer um arquivo com conselhos e memórias a Freddie, seu filho de 2 anos.
A locutora foi diagnosticada com câncer de mama em novembro de 2016. Em dezembro daquele ano, começou o tratamento de quimioterapia e, posteriormente, se submeteu a uma mastectomia.
Mas, menos de dois anos depois, foi informada de que o câncer tinha se espalhado e que não teria cura.
"Nas palavras do lendário Frank Sinatra, temo que o momento tenha chegado. E repentinamente", tuitou Bland, na segunda. "Me disseram que tenho dias (de vida). É muito surreal. Muito obrigada a todos pelo apoio que tenho recebido."
"
Em um comunicado, o marido dela, Steve Bland, descreveu Rachael como "perfeita em todos os sentidos".
Talvez também te interesse
"Ela era uma apresentadora incrivelmente talentosa, assim como uma maravilhosa e amada filha, irmã, tia, sobrinha, esposa e - o que era mais importante para ela - mãe do nosso pequeno e precioso Freddie", afirmou Steve.
O podcast que fala sobre câncer com franqueza e bom humor
Bland também era apresentadora do podcast You, me and Big C (Eu, você e o Grande C, em que "C" significa câncer), juntamente com Deborah James e Lauran Mahon.
James e Mahon também passaram por tratamento contra o câncer. O podcast fala sobre a doença a partir da experiência pessoal das apresentadoras, com franqueza e muito bom humor.Direito de imagem RACHAEL BLAND Image caption Steve Bland, marido de Rachael Bland, era uma das principais preocupações da apresentadora, assim como o filho deles, Freddie, de 2 anos
"A gente se conforta e se orgulha do incrível e incansável trabalho que ela fez desde que foi diagnosticada, para reduzir o estigma sobre o câncer e provar que é possível viver uma vida plena mesmo diante de enormes desafios diários. No final, mesmo quando seu corpo estava frágil, sua voz estava mais forte e poderosa do que nunca", afirmou nesta quarta o marido de Rachael.
Em um dos episódios do podcast, a apresentadora lembrou o momento em que a chamaram em maio para dizer que o câncer não tinha cura.
"Eu simplesmente não podia acreditar. Estava com amigas, e meu filho (Freddie, de dois anos) estava brincando ingenuamente. Eu só conseguia pensar, 'meu pobre Freddie'. Mas ele estava ali, sem saber do que se passava, sorrindo", contou.
Em um tuíte na segunda, Rachael escreveu: "Debs e Lozz continuarão o podcast #youmebigc".
"Au revoir (adeus, em francês), meus amigos", acrescentou.Direito de imagem CLAIRE WOOD Image caption Lauren Mahon e Deborah James continuarão apresentando o podcast 'Eu, você e o Grande C'
Despedidas
Rachael Bland também era autora do blog Big C. Little Me e apresentadora na BBC há mais de 15 anos.
Victoria Derbyshire, apresentadora de um programa na BBC que leva seu nome, também foi diagnosticada com câncer de mama em 2015.
"Coragem, graça, alegria, essa é você. Você é incrível", disse ela a Bland pelo Twitter nos últimos dias.
O ex-apresentador da BBC Radio 5 Live Richard Bacon afirmou na mesma rede social que Bland era "maravilhosa".
"O seu podcast ajudou a mudar a forma como a gente fala de tudo isso", escreveu.
Steph McGovern, do programa de televisão BBC Breakfast, disse a Bland que estava "muito comovido".
"O podcast claramente tem ajudado muita gente, e o faz com muito estilo, humor e brilhantismo. Obrigado por tudo", afirmou.Image captionRachael Bland foi apresentadora da BBC por mais de 15 anos
Corrida contra o tempo
A apresentadora disse ao jornal britânico The Sunday Telegraph em agosto que não tinha medo de morrer e que estava em uma "corrida contra o tempo" para escrever memórias para o filho.
"Eu não tenho medo de morrer. Só tenho receio pelos que deixarei para trás. Pelo meu querido Freddie, por Steve e nossas famílias", disse.
Antes de morrer, Rachael Bland queria deixar ao menino "todas as histórias e conselhos que teria dado, mas que não poderá fazê-lo pessoalmente".
Ela contou que escrever o livro a estava fazendo rir e chorar. O livro de memórias Para Freddie seria, segundo a apresentadora, uma "carta de amor para meu lindo filho, que espero que possa eternizar o meu amor por ele".

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.