Furacão Florence se fortalece a caminho da costa leste dos EUA

De categoria 4, tempestade já provoca fortes ventos e agitação no mar; um homem morreu afogado na Flórida
Furacão Florence é visto sobre o Oceano Atlântico - 09/09/2018 (NOAA NWS National Hurricane Center/Reuters)
Um furacão de categoria 4 se aproxima da costa leste dos Estados Unidos. O Florence, como foi chamado, ganhou força na manhã desta segunda-feira (10), com ventos de 210 quilômetros por hora.
Segundo os meteorologistas, o furacão deve se intensificar ainda mais nas próximas horas e pode provocar ventos de até 240 km/h. A previsão é que ele toque o chão entre terça e sexta-feira desta semana, entre o norte da Carolina do Sul e a ilha de Outer Banks, no mesmo Estado.
A categoria 4 é a segunda mais forte na escala de furacão Saffir-Simpson, com ventos à velocidade de 210 a 249 quilômetros por hora. Em geral, o furacão de categoria 4 causa danos catastróficos às pessoas, aos animais, aos imóveis e infraestrutura. Pode ainda provocar suspensão de fornecimento de energia elétrica por longo período e tornar difícil fornecimento de alimentos e água potável. O furacão com ventos acima de 250 quilômetros por hora é o mais forte, de categoria 5.
A imprensa americana noticiou a morte de um homem por afogamento e que várias pessoas ficaram feridas durante o último final de semana nas praias do condado de Volusia, no litoral da Flórida, por causa das fortes ondas causadas pelo Florence.
Uma ordem de retirada foi emitida na Ilha de Hatteras, no condado de Dare, Carolina do Norte. Os moradores foram orientados a deixar o local a partir do 12h do horário local desta segunda. Amanhã, a ordem se estenderá também para todo o condado.
Se o furacão tocar o chão na Carolina do Norte como tempestade de categoria 4, será o mais forte a atingir o estado.
“Façam seus planos agora”, alertou também o governador da Carolina do Sul, Henry McMaster, a moradores durante coletiva de imprensa no domingo. “Presumam que um grande furacão atingirá bem o meio da Carolina do Sul”.
McMaster disse que pediu ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a declaração de emergência federal em seu Estado, antecipando a chegada da tempestade.
Vítimas
No sábado (8), as equipes de salvamento resgataram Steven Kolaczewski, de 64 anos, que se afogou no mar da praia de New Symyrna Beach, na Flórida. Ele foi levado a um hospital próximo, mas morreu.
No domingo, os socorristas de outras praias da costa leste da Flórida resgataram da água 13 pessoas, segundo autoridades locais. Além disso, uma mulher de 33 anos sofreu fratura em um braço, e outro banhista teve ferimentos na nuca e nas costas na praia de Daytona Beach, também no condado de Volusia.
(Com EFE)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.