HISTÓRIA INCINERADA: Presidente francês oferece ajuda para reconstruir o Museu Nacional

Palácio com acervo de 20 milhões de itens foi destruído por fogo
"O incêndio no Museu do Rio é uma tragédia. É a história e a memória reduzidas a cinzas", afirmou Macron. Foto: Reprodução/Twitter
O presidente da França, Emmanuel Macron, ofereceu ajuda de especialistas franceses em arte ao Brasil para a “reconstrução” do Museu Nacional, destruído por um incêndio neste domingo, 3.
“O incêndio no Museu do Rio é uma tragédia. É a história e a memória reduzidas a cinzas. A França oferecerá seus especialistas a serviço do povo brasileiro para contribuir para a reconstrução”, disse Macron no Twitter
Segundo a ministra da Cultura da França, Françoise Nyssen, disse ainda que o incêndio significa “tanto para o Brasil como para os pesquisadores de todo o mundo o maior desastre para o conhecimento da história” do país latino-americano e para a compreensão de sua “diversidade cultural e natural”. “Todos os arquivos científicos foram destruídos, sendo alguns de interesse patrimonial e científico de grande importância, como o fóssil de Luzia, o mais antigo hominídeo (11.500 a 13 mil anos atrás) descoberto no Brasil em 1974 graças a uma equipe franco-brasileira”, afirmou.
O Museu Nacional é a instituição científica mais antiga do país, tinha 200 anos e um acervo de mais de 20 milhões de itens. Entre eles, estava o crânio de Luzia, o fóssil mais antigo das Américas e tesouro arqueológico nacional, e o maior meteorito já achado no país. O local foi residência da família real e sede da 1ª Assembleia Constituinte do Brasil.
O prédio iria passar por uma restruturação para melhor prevenção e combate a incêndios, mas a tragédia aconteceu antes
O ministro dos Bens Culturais da Itália, Alberto Bonisoli, também se manifestou sobre o incêndio. “200 anos de trabalho e uma coleção de 20 milhões de peças se perderam. Os danos são inestimáveis. Exprimo toda a nossa solidariedade ao povo brasileiro”, declarou. (DP)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.