IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA: Marcelo Crivella vira réu acusado de beneficiar igrejas evangélicas

Prefeito do Rio responderá por improbidade administrativa no caso da reunião com líderes evangélicos no Palácio da Cidade
Crivella vira réu por improbidade administrativa no caso da reunião com líderes evangélicos no Palácio da Cidade. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
A Justiça do Rio de Janeiro aceitou a denúncia contra o prefeito da capital fluminense, Marcelo Crivella (PRB), em ação de improbidade administrativa. Ele pode perder os direitos políticos caso seja condenado.
A decisão é do juiz da 7ª Vara de Fazenda Pública do Rio, Eduardo Klausner, que acatou, na quarta-feira, 12, ação movida pelo Ministério Público após o prefeito participar de uma reunião com pastores evangélicos no Palácio da Cidade, sede do Executivo municipal, em julho.
O magistrando determinou “a citação do réu para apresentar contestação” e intimou “também o município”.
Bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, Crivella é acusado de oferecer ajuda para encaminhar fiéis a cirurgias e para agilizar processos de isenção da cobrança de IPTU das igrejas no encontro. Além disso, exaltou o pré-candidato a deputado federal pelo PRB Rubens Teixeira.
Na época, o prefeito negou favorecimento e disse que teve apenas o objetivo de prestar contas de sua gestão e apresentar aos participantes os programas sociais da prefeitura.
O Ministério Público acusa o prefeito de ferir a laicidade do Estado na sua administração. (DP com FolhaPress)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.