Maré avança e assusta moradores e veranistas de Cacha Pregos: "Aqui está um perigo pra gente"

Foto: Arquivo pessoal 
Os moradores de Cacha Pregos, no município de Vera Cruz, na Ilha de Itaparica, estão sofrendo com o mar que não para de subir. Moradora e administradora de um restaurante na região, Luana Perrone explicou ao BNews que o maré começou a avançar desde março e não desceu mais, um fenômeno que não acontecia há 40 anos. "O mar subiu de uma forma que está assustando moradores e veranistas, porque está muito revolto".
Por conta dessa situação, o comércio em Cacha Pregos também está sendo prejudicado. O Restaurante Caiambá, da família de Luana, é um dos mais famosos da região, inclusive, já ganhou dois prêmios como a melhor barraca de praia da Ilha de Itaparica e vem sofrendo com a falta de clientes por medo do avanço da maré. Ela contou que, atualmente, está com apenas três funcionários, mas tem dificuldades para pagar em dia por falta de movimento. Na alta estação, o restaurante chega a contar com 17 funcionários, mas se nada for feito, a situação deve piorar para o comércio.
"A gente é gerador de emprego e renda no município e está sem poder trabalhar de forma digna. Aqui está um perigo pra gente", pontuou a empresária.
A mulher contou que já procurou a prefeitura diversas vezes e o gestor informa que não é de competência municipal e sim da União. "O prefeito ainda fez uma postagem dizendo que achava um absurdo construção na beira de praia. Porque eles deram o alvará para construção já que é um absurdo?". Luana explicou que a área de preamar é de 33 metros e eles tinham 150 metros de faixa de areia, ou seja, a área é municipal, e que o mar está devorando.
Em uma postagem na rede social, Luana fez um desabafo e cobrou uma posição da prefeitura: "Precisamos de praça, precisamos de calçamento, mas acima de tudo precisamos de dormir tranquilos em nossas residências sem medo da água invadir".
Sem resposta da prefeitura, os moradores estão comprando pedras e pagando máquina para tentar fazer uma contenção. Luana pondera que a prefeitura poderia pelo menos liberar as máquinas, já que afirmam não ter recursos para as pedras. 
"A gente mora atrás do restaurante. Eu me criei aqui e hoje vivo apavorada. Tenho uma bebezinha e quando dá 3h da manhã eu não durmo, não consigo dormir por medo da água invadir", conclui a jovem. 
Em nota enviada à reportagem, a prefeitura de Vera Cruz afirma que "está ciente da situação de alguns moradores da localidade de Cacha pregos, que fizeram suas construções avançadas na areia da praia, e lamenta o ocorrido. Apesar de ser uma área de responsabilidade da União, regulada e fiscalizada pela (SPU) Secretaria de Patrimônio da União, o Município enviou técnicos ao local e notificou os órgãos competentes. A área também foi inspecionada pelo prefeito Marcus Vinicius. Infelizmente, a legislação não permite ao Município executar qualquer intervenção em área de Marinha e, por isso, a prefeitura aguarda a orientação e autorização da SPU para verificar em que poderá auxiliar na situação". (Bocão)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.