Mulher é presa em Niterói por vender joias falsas pela Internet

Peças eram vendidas como da H.Stern, maior joalheria do país, por valores entre 5 mil e 12 mil reais. Todas elas acompanhavam um certificado de autenticidade falsificado
POR O DIA
Joias eram vendidas pela internet como sendo originais da H.Stern e acompanhavam certificados falsos de autenticidadeDivulgação
Rio - Policiais civis da Delegacia de Combate à Pirataria prenderam, na manhã desta quinta-feira, uma mulher especialista em falsificar joias da maior joalheria do país, a H. Stern. Mariana Souza Mota, de 30 anos, responderá pelo crime de falsificação, contrabando e descaminho. Ela foi presa em casa, que fica em um condomínio de luxo em Niterói, na Região Metropolitana do Rio.
Na investigação, que durou cerca de 3 meses, os policiais descobriram que Mariana vendia as joias em sites e redes sociais como se fossem verdadeiras. Ela cobrava entre 5 mil reais a 12 mil reais por cada peça.
Todas as joias ao serem vendidas devem possuir um certificado de autenticidade. Segundo os investigadores, os documentos fornecidos por Mariana, junto com suas joias, eram falsificados para convencer seus consumidores.
Em sua casa, os investigadores cumpriram um mandado de busca e apreensão e encontraram colares, brincos e pulseira que, segundo a perícia, são falsificações avaliadas em meio milhão de reais, além de moldes para confecção de novas joias.
A Polícia Civil vai encaminhar um relatório à Polícia Federal para investigar se as pedras falsas entravam no Brasil por contrabando.
Joias eram vendidas pela internet como sendo
originais  da H.Stern e acompanhavam certificados
falsos de autenticidade/Divulgação
Joias eram vendidas pela internet como sendo originais
 da H.Stern e acompanhavam certificados falsos de autenticidade/Divulgação
Joias eram vendidas pela internet como sendo originais da H.Stern e acompanhavam certificados falsos de autenticidade/Divulgação
Joias eram vendidas pela internet como sendo originais
 da H.Stern e acompanhavam certificados falsos de autenticidade/Divulgação

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.