PT descumpre liminar do TSE e mantém Lula como candidato em propaganda no rádio

Na TV, no entanto, ex-presidente não aparece como candidato, mas Fernando Haddad ainda se apresenta como o vice-presidente
POR O GLOBO
Ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad deve ser indicado pelo PT como candidato à presidência - Fotoarena / Agência O Globo
BRASÍLIA - O PT descumpriu decisão liminar do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e voltou a divulgar, nesta terça-feira, em propaganda de rádio a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República. Na segunda-feira, duas liminares proibiram o partido de incluir Lula como candidato nos programas de rádio e TV, sob pena de pagar multa de R$ 500 mil por descumprimento de decisão judicial. Pouco antes das 10h foi veiculada inserção do PT em rádio. Nela Fernando Haddad se apresenta como o vice-presidente de Lula.
Na propaganda eleitoral da TV, no entanto, o ex-presidente não aparece mais como candidato, e Fernando Haddad é apresentado apenas como vice-presidente, sem citar Lula. O programa da coligação ' O Povo Feliz de Novo' abriu com uma cartela que cita a recomendação da ONU, de não proibir a participação do ex-presidente na eleição, e avisa que vão recorrer para manter a candidatura de Lula.
No bloco dos candidatos a deputado do PT, as imagens de Lula continuam aparecendo, assim como a hashtag 'Lula Livre'. O ex-presidente, no entanto, já não aparece mais como candidato.´
A inserção veiculada hoje pela manhã no rádio começa com o locutor anunciando: "Com Lula o Brasil era diferente". Em seguida o próprio petista fala:
— Esse povo sorria, esse povo comia, esse povo trabalhava, esse povo recebia salário, esse povo estudava. E sabe que vivia num país melhor durante 12 anos.
Entra o jingle da campanha com o refrão: "É Lula, é Haddad, é o povo. É o Brasil feliz de novo".
Aparece então Haddad que assim se apresenta:
— Eu sou Fernando Haddad, vice-presidente de Lula. Vamos juntos trazer o Brasil de Lula de volta. Vamos fazer o povo feliz de novo.
Na sexta-feira, o TSE rejeitou o registro da campanha do ex-presidente por considerar que ele, condenado em segunda instância, não pode participar da corrida eleitoral, de acordo com as regras da Lei da Ficha Limpa.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.