Record demite apresentadora que sonhava em voltar pra Globo

A TV Itapoan, filial da Record em Salvador, demitiu a apresentadora do BA/Record, seu principal noticiário local, na noite da última sexta-feira (31). Patrícia Abreu, que ficou apenas 13 meses na emissora, foi impedida de se despedir do público no ar. Ela teve seu vínculo rescindido após dizer a um fã em rede social que voltaria a trabalhar na Rede Bahia, afiliada da Globo. Antes de ser contratada pela rede de Edir Macedo, em julho de 2017, a jornalista era apresentadora da edição baiana do Globo Esporte, função que ocupou durante 13 dos 16 anos em que esteve na emissora da família Magalhães.
O Globo Esporte foi o estopim para a rescisão do contrato de Patrícia Abreu. No dia 14, ela publicou uma foto no Instagram em que comemorava os 40 anos do esportivo global e disse "sentir saudades" do programa. Nos comentários da publicação, um fã a abordou dizendo que lhe "preferia no Globo Esporte". Ela respondeu afirmando ter contrato com a Record, mas que "tudo pode acontecer". O site Notícias da TV apurou que uma reprodução da publicação e do comentário da jornalista passou a circular em grupos de WhatsApp de funcionários da TV Itapoan e rapidamente se espalhou para outros veículos de mídia baianos. A atitude de admitir publicamente que sente saudades e voltaria para o Globo Esporte foi vista pela direção da filiada da Record como uma demonstração de desprezo pela emissora, que passou a monitorar as redes sociais da âncora. Na sexta-feira, dia em que sairia de férias, ela foi chamada pela chefia de Jornalismo, após terminar de apresentar a edição do telejornal, para uma reunião. Nela, foi comunicada da rescisão unilateral de seu contrato. Além de elogiar o Globo Esporte, Patrícia curtia conteúdos publicados por apresentadores da Rede Bahia, como Jessica Senra, que deixou a Record em março. 
Procurada, a TV Itapoan disse que desligou Patrícia Abreu do quadro de funcionários da emissora por "questões editoriais". Patrícia Abreu, por sua vez, contou ao Notícias da TV que sua demissão "foi um choque" e que foi impedida até mesmo de anunciar suas férias para o público do BA Record. "No meu último dia, me disseram pelo ponto eletrônico para não dizer que estava saindo de férias, nem quando eu retornaria ao jornal. Eu me despedi desejando um excelente fim de semana", afirmou. Abreu confirmou que, ao fim do jornal de sexta, recebeu uma mensagem de Fabiano Falsi, gerente de Jornalismo, pedindo para que fosse à sua sala com urgência. Lá, foi comunicada de sua demissão, sob a alegação de "motivos administrativos". Ela relatou que, no dia seguinte, acabou encontrando Fábio Tucilho, diretor-geral da TV Itapoan, em um shopping da capital baiana, e que ele sequer quis conversar. "Eu o abordei para saber o motivo da minha demissão. A audiência estava boa e gostaria de falar sobre a minha saída, mas ele foi embora. Ele me avistou no shopping, mudou de caminho, mas eu fui atrás. Foi ele quem me contratou, mas não estava no dia da demissão. Quando perguntei o motivo de ser demitida, ele apenas saiu andando sem falar nada. Achei uma tremenda falta de respeito". Em agosto, o BA Record marcou 13,0 pontos de média, segundo dados do Ibope. Não é uma audiência ruim para a rede de Edir Macedo, que disputa a liderança com a Globo na capital soteropolitana, mas é um número menor do que o registrado pelo Balanço Geral, comandado por José Eduardo Alves na hora do almoço (16,2). Exibido das 19h15 às 19h50, o noticiário tem dificuldades para crescer na audiência. No mês passado, empatou tecnicamente com a edição regional do Cidade Alerta (12,8), que o antecede na programação. Perguntada sobre o que planeja fazer a partir de agora, Patrícia Abreu contou que "o foco é a viagem de férias" e que "quer sair sem pensar no que fazer, sair sem rumo". Ela se emocionou ao agradecer as mensagens de apoio enviadas por colegas e fãs quando anunciou sua demissão da Record. Disse que "não esperava o carinho de tantas pessoas". (Daniel Castro)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.