Criminosos sequestram detenta na porta de presídio para cobrar dívida

Suspeito de extorsão foi preso na manhã desta quarta-feira
15/04/2018 - Fachada da Cadeia Pública José Frederico Marques, antigo Batalhão Especial Prisional, é uma penitenciária situada no bairro de Benfica, na Zona Central da cidade do Rio de Janeiro, que hoje recebe presos na Operação Lava- Jato.Localiza-se na Rua Célio Nascimento, próximo do Parque Arará. É administrado pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) Foto de Maíra Coelho / Agência ODia Polícia,Tráfico,Drogas, Políticos, Segurança, Monitoramento, Big Brother, - Foto de Maíra Coelho / Agência O Dia
Rio - Uma detenta do regime semiaberto foi sequestrada na porta do presídio de Benfica, na Zona Norte do Rio de Janeiro, ao sair da unidade para o trabalhar, na manhã do dia 25 de setembro. Segundo a Polícia Civil, os criminosos responsáveis pela ação estariam cobrando o dinheiro do marido dela, um ex-chefe do tráfico, que morreu recentemente. 
A vítima foi levada a cerca de 300 metros da unidade prisional de Benfica. Ela ficou de oito a dez horas em poder dos sequestradores, que segundo os agentes, acharam que a viúva havia herdado do companheiro a quantia de R$ 1 milhão, obtida com suas ações no crime. 
Ainda de acordo com a polícia, a mulher apenas deixou o cativeiro após o pagamento de R$ 10 mil, além de se comprometer em pagar mais R$ 500 mil em data a ser marcada pelos criminosos. Foram registradas chamadas telefônicas com extorsões até a noite desta terça-feira.
Após o monitoramento realizado pelos agentes, o mototaxista, José Aciole Teixeira de Medeiros, foi preso na manhã desta quarta-feira. Ele foi surpreendido quando recebia uma bolsa onde ele acreditava conter o restante do pagamento da vítima. 
Além do homem preso em flagrante, outra detenta que cumpria pena na mesma unidade prisional foi identificada como sendo a interlocutora da extorsão.
Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que ao tomar conhecimento e por se tratar de um perímetro de segurança, a direção da unidade comunicou a Corregedoria e a Superintendência de Inteligência do Sistema Penitenciário, que encaminharam testemunhas para a 21ª DP, onde foi feito o registro do suposto sequestro.
No mesmo dia, a interna retornou a unidade prisional com escoriações e foi encaminhada para a mesma delegacia. A direção da unidade comunicou ao Juiz da Vara de Execuções Penais (VEP) sobre o caso. (ODIA)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.