Novo se declara anti-petista, mas decide não se posicionar no 2º turno da presidencial

PP declarou 'absoluta isenção e neutralidade' entre Bolsonaro e Haddad
João Amoêdo ex-candidato a presidente pelo Partido Novo. (Foto: Rogério Marques/Futura Press)
O partido Novo anunciou na manhã desta terça (9) que não irá apoiar o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), mas se posicionou “absolutamente contrário ao PT”. De acordo com a nota divulgada pela sigla, o cenário do segundo turno “não é aquele que desejávamos”. O candidato do Novo, João Amoêdo, somou 4% dos votos.
Ainda de acordo com a nota, o partido é contra o PT porque suas ideias e práticas são opostas, mas não aponta motivos para não apoiar Jair Bolsonaro.
A sigla criada em 2015 concorreu à Presidência pela primeira vez com o candidato João Amoêdo, que teve 2,5% dos votos válidos no primeiro turno.
O Partido Progressistas (PP) também anunciou que não apoiará nem Fernando Haddad nem Jair Bolsonaro no segundo turno, mantendo uma postura de “absoluta isenção e neutralidade”.
No primeiro turno, o partido — que integra o chamado bloco do “Centrão” — havia participado da coligação do candidato Geraldo Alckmin (PSDB), que tinha como vice a senadora Ana Amélia, do PP.
De acordo com a sigla, a postura de neutralidade é a “melhor contribuição que pode oferecer ao debate, em que os cidadãos e cidadãs demonstraram querer se ater a um olhar aos projetos e às personas dos candidatos, deixando todas as demais variáveis em segundo plano”. A nota aponta ainda que o PP está disposto a colaborar com o futuro presidente eleito. (DP com informações da Folhapress)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.