Pivô de ‘caso Berlusconi’ nega relação com CR7

A ítalo-marroquina Karima El Mahroug, mais conhecida como Ruby, pivô do escândalo que levara o ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi ao banco dos réus por prostituição de menores, negou nesta terça-feira (9) envolvimento com o craque Cristiano Ronaldo. Ruby, 25 anos, se posicionou após o tabloide britânico “The Sun” ter publicado uma matéria na qual o advogado de Kathryn Mayorga, que acusa o craque português de estupro, diz que há outras três mulheres dispostas a denunciar CR7.
No mesmo texto, o diário alega que Cristiano Ronaldo pagou 4 mil euros para fazer sexo com a marroquina em julho de 2010, quando ela ainda era menor de idade. A denúncia se baseia em um relato feito pela própria Ruby à Justiça italiana, mas do qual os investigadores não encontraram nenhuma prova e que ela viria a desmentir mais tarde.
“Estou chateada, mais uma vez vejo meu nome ser instrumentalizado para outros fins”, declarou a modelo por meio de sua advogada, Paola Boccardi. “É uma fake news”, reforçou a defensora. Ruby participou de festas na mansão de Berlusconi quando tinha 17 anos, apelidadas pela imprensa local de “bunga-bunga”, o que levou o ex-primeiro-ministro ao banco dos réus por prostituição de menores. O líder conservador chegou a ser condenado em segundo grau, mas acabou absolvido pela Suprema Corte, que disse não ter encontrado provas de que ele sabia da idade da ítalo-marroquina.
Em um de seus depoimentos, em 2013, Ruby ironizou: “Não me prostituí com alguém tão bonito [como Cristiano Ronaldo], imagine se o faria com Berlusconi”. O ex-premier agora é réu por suspeita de ter subornado testemunhas para escapar da sentença no “caso Ruby”. Cristiano Ronaldo é acusado de ter violentado a norte-americana Kathryn Mayorga em um hotel de Las Vegas, nos Estados Unidos, em 2009. O jogador nega o crime e está neste início de semana em Lisboa, onde discute o assunto com seus advogados. (ANSA)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.