Barbárie: corpo de homem é encontrado com a cabeça quase decapitada

A vítima foi encontrada próximo à estação da Caesb, em Brazlândia. Autor foi preso e está autuado por homicídio. A polícia continua em busca de um adolescente que teria participado do crime
O corpo foi encontrado na manhã de ontem por uma vigilante(foto: Divulgação/PCDF)
Um crime bárbaro chocou os moradores de Brazlândia. O corpo do lanterneiro Bartolomeu Rodrigues Ramos, 52 anos, foi encontrado com a cabeça praticamente decapitada em uma área próxima da estação da Caesb. Uma vigilante avistou a vítima, e chamou a polícia. 
O caso é investigado pela 18ª Delegacia de Polícia (Brazlândia). Os familiares relataram aos policiais que Bartolomeu foi visto pela última vez por volta das 16h de quarta-feira (14/11). Ele não tinha envolvimento com drogas e não costumava ir até o local onde foi encontrado morto.
Bartolomeu Rodrigues Ramos, 52 anos, era
lanterneiro(foto: Arquivo )
O corpo foi descoberto na manhã de quinta-feira (15/11). Um suspeito, de 20 anos, está preso. Ele confessou o crime e está autuado por homicídio. As roupas que ele usou foram apreendidas. Em depoimento, o rapaz contou que segurou Bartolomeu, enquanto um adolescente de 17 anos dava as facadas no pescoço dele. Os investigadores estão em busca de um adolescente, que pode ter envolvimento com o crime. 
Latrocínio
Continua depois da publicidade
Segundo o delegado Adval Cardoso, chefe da 18ª DP, o jovem de 20 anos assumiu ter participado do crime. O suspeito alegou a motivação teria sido uma dívida com a vítima. Contudo, em apuração, constatou-se que ele e Bartolomeu não se conheciam e que pode-se tratar de um latrocínio. "A vítima estava com uma chave e documento de um carro, o que chamou a atenção dos autores. A dupla começou a beber com Bartolomeu e, depois, o levaram até o matagal. No local, torturaram a vítima para que ela dissesse onde estava o carro", explica o delegado.
Ainda conforme a investigação, Bartolomeu não estava com o carro, que não era dele. Seria um dos veículos que estavam no estabelecimento onde ele trabalhava como lanterneiro. "Como ele não estava com o carro, decidiram matá-lo. Essa hipótese torna-se ainda mais forte porque, no mesmo dia, os dois suspeitos estavam tentando furtar um carro em um comércio local. Como foram flagrados, não tinham conseguido o veículo", finaliza Adval Cardoso.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.