MENSAGEM DO DIA - “O CÉU E A TERRA PASSARÃO, MAS AS MINHAS PALAVRAS NÃO PASSARÃO.”

Com o findar do ano litúrgica já batendo à nossa porta, somos convidados a revisar a nossa vida, a conscientizarmos do nosso tempo de vida terrena. Tempo este, que deve ser útil à nossa caminhada rumo à eternidade, pois este, é o único espaço sagrado, que Deus nos concede para buscarmos em Jesus o nosso encontro definitivo com Ele.
A liturgia deste tempo vem nos acordar para uma realidade que ninguém pode fugir: a certeza da nossa morte, lembrada no dia de finados, e ao mesmo tempo, nos trazer uma grande consolação, lembrando-nos no dia de todos os Santos, que a nossa vida, não termina com o fechamento definitivo dos nossos olhos para o que é da terra. Quando os nossos olhos se fecham para as coisas da terra, certamente eles se abrem para as coisas do céu!
Como peregrinos, que caminha em busca do definitivo, temos uma certeza: o nosso destino é o céu! A certeza de que há uma vida melhor por vir, deve nos motivar, nos encorajar a darmos continuidade à nossa peregrinação terrena! 
Somos convidados a refletir, chega até a nós, numa linguagem simbólica, tendo como objetivo principal, lembrar-nos da transitoriedade da nossa vida terrena, a vida que passa.
Olhando essas duas realidades: vida e morte, lembradas no início deste mês, vamos perceber, que a morte, na visão de um seguidor de Jesus, não é o fim, e sim, o começo de uma nova vida , de uma vida junto de Jesus. 
O fim do tempo acontece para cada um de nós, na ocasião da nossa morte. Para quem morre, o sol escurece, mas a vinda gloriosa de Jesus no seu esplendor, o transportará para um lugar mais claro e radiante do que a luz do sol que brilha sobre a terra! 
Quanto ao dia e hora da nossa passagem, Deus preferiu nos ocultar, Ele só nos deu uma pista, que nos fora passada por Jesus: pode acontecer a qualquer momento, o que pode nos deixar apreensivos. No entanto, para quem vive de acordo com a vontade de Deus, o dia e a hora da nossa passagem não importa, o importante é estar o tempo todo em sintonia com Jesus, ciente de que há uma vida melhor por vir, uma vida em plenitude que é a vida eterna!
Nas entrelinhas do texto, colocado diante de nós, transita uma palavra que expressa algo confortante, algo, que não nos deixa esmorecer diante as tribulações que é a esperança!
Se aprofundarmos um pouco mais no evangelho, vamos perceber que embora, ele esteja recheado de algo aterrorizante, a sua mensagem é de esperança, nos fala da segunda vinda de Jesus, momento em que haveremos de prestar contas da nossa administração dos bens celestes.
Evidentemente, não é nada confortável falar do findar da nossa vida terrena, mas não podemos esquecer: esta é a única certeza que temos do nosso futuro.
Ao mesmo tempo em que o texto fala de turbulências, ele nos fala de uma renovação, reafirmando que Deus não desiste da sua criação! Para falar desta renovação Jesus cita o exemplo da natureza, enfatizando a figueira!
Se observarmos bem as arvores, vamos perceber que elas nos passam grandes lições: durante o inverno, as arvores são duramente castigadas, muitas, ficando totalmente desnudadas, mas basta surgir as primeiras chuvas, para que elas se renovem. Assim também acontece conosco, nós também, atravessamos as durezas dos Invernos da nossa vida, mas em Jesus, temos a possibilidade de nos renovar. 
Todas as descrições presentes no texto, pode nos parecer negativas, mas a sua finalidade é nos tranquilizar, nos mostrar que Deus é maior que tudo, e que o mundo velho, que alimentamos dentro de nós, está prestes a desaparecer com a vinda de Jesus para dar lugar a um mundo novo, onde os “escolhidos” de Deus não terão mais o que temer. 
As coisas da terra passam tudo que começa tem seu fim, menos a palavra de Deus, a palavra de Deus é eterna ela continua viva de geração em geração.
Medo, preocupação, não cabe num coração habitado por Jesus!
FIQUEMOS NA PAZ DE JESUS!
(Com Olívia Coutinho)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.