Nome para Banco Central está em fase final de definição, diz Guedes

Assessoria do futuro ministro da Economia emitiu nota nesta quinta-feira; economista Roberto Campos Neto, executivo do Santander, é o nome mais cotado para assumir o comando do BC
O Estado de S.Paulo
A assessoria do economista Paulo Guedes, futuro ministro da economia do governo de Jair Bolsonaro, informou nesta quinta-feira, 15, que “a escolha do nome para comandar o Banco Central está em fase final de definição e, assim que for confirmado, será devidamente anunciado”. Reportagem do Estado apontou que o atual presidente da autoridade monetária, Ilan Goldfajn, não permanecerá no cargo em 2019.
Fonte ouvida pelo Estado/Broadcast informou, porém, que o nome mais provável é o do economista Roberto Campos Neto. A área econômica da equipe de transição estaria "checando" a biografia do economista, que é neto do liberal Roberto Campos, executivo do Banco Santander e próximo a Guedes.
Assessoria do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, informou que nome para o comando do Banco Central deve ser definido breve. Foto: Sergio Castro/Estadão
Com potencial para mexer no mercado, o nome ainda deve ser apresentado por Guedes a Bolsonaro. A expectativa é que isso ocorra ainda durante o feriado, quando o movimento no mercado diminui.
Transição
Guedes e o presidente eleito, Jair Bolsonaro, declararam em diversas ocasiões que tinham o desejo de manter o atual presidente do BC no cargo, mas também era de conhecimento público que eles chegaram a trabalhar com cinco opções para substituí-lo.
O que se dizia em Brasília é que a permanência de Ilan no cargo em 2019 dependia da aprovação do projeto de autonomia do Banco Central, atualmente em tramitação na Câmara. O principal ponto da proposta é a definição de mandatos fixos para os dirigentes do BC a partir de março de 2020.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.