Novo curativo acelera cicatrização de feridas: 5 vezes mais rápido

Por: Só Notícia Boa
Foto: SAM MILLION-WEAVER
Engenheiros criaram um curativo que acelera a cicatrização. Com ele, feridas graves, que demoram até duas semanas para sarar, são curadas em apenas 3 dias.
O método, desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Wisconsin-Madison, aproveita a energia gerada pelos movimentos do próprio corpo do paciente para aplicar pulsos elétricos leves no local de uma lesão.
“Ficamos surpresos ao ver uma taxa de recuperação tão rápida. Suspeitamos que os dispositivos teriam algum efeito, mas a magnitude foi muito maior do que esperávamos”, disse Xudong Wang, professor de ciência e engenharia de materiais da UW-Madison.
A boa nova foi publicada pela revista ACS Nano.
Como
Em contraste com os métodos existentes, o novo curativo é muito mais simples.
“Nosso dispositivo é tão conveniente quanto um band-aid que você coloca em sua pele”, diz Wang.
Os novos curativos consistem em pequenos eletrodos colocados no local da lesão. Eles ficam presos a uma banda, segurando unidades de coleta de energia chamadas nanogeradores, que são enroladas em volta do tronco do usuário.
A expansão e contração natural do tórax do usuário durante a respiração alimentam os nanogeradores, que fornecem pulsos elétricos de baixa intensidade.
“A natureza desses pulsos elétricos é semelhante à maneira como o corpo gera um campo elétrico interno”, diz Wang.
E esses pulsos de baixa potência não prejudicam o tecido saudável, como os dispositivos tradicionais de eletroterapia de alta potência.
Foto: SAM MILLION-WEAVER
Cinco vezes mais rápido
Os pesquisadores mostraram que a exposição de células a pulsos elétricos de alta energia fez com que eles produzissem quase cinco vezes mais espécies reativas de oxigênio – os principais fatores de risco para câncer e envelhecimento celular – do que células expostas a nanogeradores.
Outro benefício para a cura: eles determinaram que pulsos de baixa potência aumentavam a viabilidade de um tipo de célula da pele chamada fibroblastos, e a exposição aos pulsos nanogeradores estimulava os fibroblastos a se alinharem (um passo crucial na cicatrização) e produziam mais compostos bioquímicos crescimento.
“Essas descobertas são muito encorajadoras”, diz o colaborador Weibo Cai, professor de radiologia da UW-Madison. “Mecanismos detalhados ainda precisarão ser elucidados em trabalhos futuros.”
Agora os pesquisadores querem descobrir como os pulsos suaves ajudam na cura.
“Os resultados impressionantes deste estudo representam uma nova e excitante reviravolta na estimulação elétrica para muitos tipos diferentes de lesões, dada a simplicidade do design”, diz Gibson, que irá colaborar com a equipe para confirmar a reprodutibilidade desses resultados.
Preço
Se a equipe for bem-sucedida, os dispositivos podem ajudar a resolver um grande desafio para a medicina moderna – e como os nanogrupos consistem em materiais relativamente comuns, o preço não será um problema.
“Eu não acho que o custo será muito mais do que uma bandagem regular. O dispositivo em si é muito simples e conveniente de fabricar”, diz Wang.
Com informações do GNN e University of Wisconsin–Madison

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.