PEGOU MAL : Defesa acha que boato prejudicou julgamento de Eduardo Cunha no STF

Ex-deputado 'desconhece fatos que desabonem o Judiciário', diz advogado
Délio Lins e Silva Jr., defensor de Eduardo Cunha, divulgou nota negando acordo de delação.
A defesa de Eduardo Cunha acredita que o boato sobre um acordo de delação, que comprometeria 150 deputados e ministros de tribunais superiores, teve o objetivo de atrapalhar o julgamento da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF). Como se as gravíssimas denúncias da Lava Jato não justificassem sua permanência na penitenciária. A 2ª Turma do STF decidiu por unanimidade (5×0) mantê-lo trancafiado. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
O defensor de Cunha, Délio Lins e Silva Jr, disse em nota que o presidiário desconhece fatos que desabonem membros do Judiciário.
Eduardo Cunha foi condenado a 15 anos e 4 meses, mas teve a pena reduzida em dez meses. Está preso há dois anos e meio.
A exemplo de Aldemir Bendini, ex-Petrobras, solto pela 2ª Turma, Cunha queria aguardar em liberdade a decisão da segunda instância.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.