MORRE, AOS 97 ANOS, A ATRIZ DORIS DAY

A atriz americana Doris Day, que encarnou a namoradinha da América em comédias românticas nos anos 1960, morreu nesta segunda-feira aos 97 anos, informou sua fundação em um comunicado enviado à mídia americana. A Doris Day Animal Foundation afirmou que Doris estava bem de saúde até que recentemente pegou uma pneumonia. Ela faleceu em sua residência em Carmel Valley, na Califórnia, cercada por amigos e parentes. Além de atriz, Doris era defensora dos direitos dos animais. “Os desejos de Doris eram de que ela não tivesse um funeral ou um velório e que não houvesse uma lápide em seu túmulo”, disse a fundação.
Nascida em 1922, em Ohio, com o nome de Mary Ann Von Kappelhoff, Day fez 97 anos em 3 de abril, que celebrou, como há muitos anos, com cerca de 300 fãs na cidade em que morava. Começou a cantar profissionalmente aos 15 anos, quando teve seu primeiro sucesso com “A secret love” e ganhou o mundo com “Que sera, sera”, entre outros vários sucessos. Apesar disso, só recebeu um Grammy honorário por sua longa carreira. Durante grande parte de sua carreira, ela reinou como a principal atriz nas bilheterias de Hollywood, e era adorada pelo público que pagava para vê-la em musicais, comédias, filmes de suspense e faroestes. A estrela loura de sorriso largo e cativante, cuja carreira abrangeu quase 40 filmes de 1948 a 1968, destacou-se em um gênero de filme em particular, o “bedroom farce”, uma comédia romântica leve e sofisticada, mas com toques maliciosos, bem representada por “Confidências à Meia-Noite”, que ela estrelou em 1959 ao lado de outro grande nome do gênero, Rock Hudson. Com Hudson, viria a protagonizar outros filmes nos mesmos moldes, “Volta, meu amor” e “Não me mande flores”. Ela também fez par romântico com atores como David Niven, Cary Grant e James Garner. A renomada especialista em cinema Molly Haskel já a chamou de “a mais subestimada e desvalorizada atriz de Hollywood”. Os críticos, no entanto, eram menos fascinados pela atriz. Ela recebeu apenas uma indicação ao Oscar, justamente por “Confidências à Meia-Noite”. Day casou-se quatro vezes, mais recentemente com o restaurateur Barry Comden, de 1976 a 1981. Ela teve seu único filho com o músico Al Jorden, o destacado produtor musical Terry Melcher, famoso por criar o ritmo do rock californiano e que morreu depois de uma longa doença em 2004. Após o suicídio de Jorden em 1967, Day se casou com seu produtor e agente Marty Melcher, de quem Terry usaria o sobrenome.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.