Nepal procura ajuda para identificar alpinistas mortos no Everest

Durante ação de limpeza desta temporada, equipe retirou quatro corpos de alpinistas do Monte Everest Por Redação
O Nepal está buscando ajuda para identificar quatro corpos de alpinistas retirados do Monte Everest depois da última temporada.
De acordo com a Agence France-Presse, os corpos estavam desgastados pelo vento e pelo frio até quase os esqueletos. Os restos mortais estão em um necrotério de Kathmandu. Eles foram trazidos das encostas há duas semanas pela equipe de limpeza da montanha.
As autoridades não sabem há quanto tempo os restos mortais estavam no Everest, informou a AFP.
“Estamos esperando que as famílias venham e reivindiquem os corpos”, disse Dandu Raj Ghimire, diretor-geral do Departamento de Turismo, à Reuters. Se as famílias não se manifestarem para reivindicar os restos mortais, os corpos serão cremados.
Cerca de 300 pessoas morreram na alta montanha de 8.848 metros desde que as expedições para chegar ao topo começaram na década de 1920. Na temporada de 2019, onze pessoas morreram.
O governo planeja trabalhar com embaixadas em Katmandu, capital do Nepal, para entrar em contato com as famílias de alpinistas estrangeiros que morreram no Everest.
Quando os alpinistas morrem no Everest, seus corpos raramente resgatados, dadas as condições mortais na montanha. Especialmente na “zona da morte”, a área entre o último acampamento e o cume. O ar é tão rarefeito sobre a montanha que outros alpinistas e sherpas não podem exercer energia extra carregando o corpo de um alpinista sem arriscar a própria vida.
Como resultado, corpos e montes de lixo acumularam-se durante anos. Mais de 11 toneladas de lixo foram removidas este ano.(gooutside.com)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.